ARANHA CASTANHA E OUTRAS TRAMAS – Gloria Kirinus


Resultado de imagem para ARANHA CASTANHA E OUTRAS TRAMASBoa noite, querida Família Lendo Muito!

Trago-vos uma resenha de um livro extraordinário que foi adquirido em uma das “maquininhas” do Metrô de São Paulo.

Trata-se de Aranha Castanha e Outras Tramas, de autoria de Gloria Kirinus, uma peruana de nascimento, que adotou nosso país – mais precisamente Curitiba-, como lugar para o seu renascimento.

As histórias narradas por ela são um verdadeiro deleite ao leitor, já que são reflexões sobre temas mais do que inusitados, como matemática e futebol. Aliás, muito antes de conhecer nosso país ela já apaixonara-se pela nossa língua quando ouvia os jogos do Brasil do outro lado da fronteira, coladinha em seu rádio – algo que denotava muita estranheza em sua família, pois ela era uma “menina”.

As duas histórias que mais chamaram-me a atenção foram as seguintes:

1. A Lição do Caranguejo
Uma mãe desesperada procura uma psicoterapeuta para “salvar” sua filha. O problema da adolescente vinha desde a infância, quando um pescador, por simples brincadeira, disse-lhe que sua inteligência era diagonal. Dali em diante, ela começou a andar tal qual um caranguejo.

O que parecia ser uma simples brincadeira, tornou-se algo muito sério, a ponto da menina, após ter contato com o jogo de xadrez, pensar em tornar-se freira só para acompanhar o “bispo”.

2. Com Zeus
As amigas estavam intrigadas para saber quem era aquele “Zeus” de quem tanto Cátia comentava e a quem ela prometera dispensar mais tempo…

O resto, só lendo muito!

O livro conta com uma escrita bem espontânea e com histórias muito divertidas, fazendo com que o leitor não desgrude das páginas até chegar ao seu final.

Não poderia deixar de citar também o trabalho da Angela Leite de Souza, pois suas belíssimas ilustrações são complementos mais do que acertados dos “causos” muito bem tramados por Gloria Kirinus.

Digno de 5 estrelas

Espero que todos tenham gostado.

Um beijo no coração de cada um de vocês!

Alex André

O incrível livro de Hipnotismo de Molly Moon – Georgia Byng


Resultado de imagem para O incrível livro de Hipnotismo de Molly Moon - Georgia Byng capa

Boa tarde, querida Família Lendo Muito!

Selecionei O incrível livro de Hipnotismo de Molly Moon, de autoria de Georgia Byng, para dar início às nossas resenhas desta semana.

Molly Moon era uma típica garota comum e sem graça, que vivia no Lar Vidadura, um horrível orfanato situado em Briesville, interior da Inglaterra.  Assim como muitas outras crianças,  ela havia sido abandonada ali ainda bebê.

Como o próprio nome já dizia, a vida ali era mais do que difícil, pois a Srta. Viborípedes dirigia o lugar com mãos de ferro, aplicando castigos cruéis em quem não andasse na linha, e Molly era sua vítima predileta!

As punições que lhe eram impostas iam desde lavar o banheiro a semana inteira com sua escova de dentes, até ficar sem banho por até três semanas – as crianças tinham o direito de um único banho por semana, acreditem.

Para piorar ainda mais a situação da pobre menina, um grupo de crianças que era liderado pela antipática e maldosa Hazel Marreta, vivia maltratando e caçoando sempre dela, atribuindo-lhe apelidos terríveis como “Periga” (por ela ser desajustada e sujeita a acidentes), “Zunza” (porque sua voz causava sono nas pessoas) e “Olho-de-Vampiro” (devido aos seus olhos serem verdes e muito juntos).

Edna, a cozinheira do orfanato, era outra criatura de trato difícil, pois não tinha qualquer pena daquelas crianças e servia-lhes as piores “gororobas” que se possa imaginar…

Molly só encontrava verdadeiro refúgio na bondosa Sra. Brinklebury, que vinha duas vezes por semana para limpar o orfanato, e em Rocky Escarlate, seu único e verdadeiro amigo ali,  que muitas vezes dividia sua própria escova de dentes com ela.

Mesmo levando esta vida tão tortuosa, ela era uma garota muito sonhadora, e adorava assistir aos comerciais na TV, pois lá as pessoas sempre pareciam bonitas e muito felizes.

Certo dia, após uma discussão com Rocky, ela resolveu refugiar-se na biblioteca da floresta, seu lugar predileto. Lá, ela acabou por encontrar um livro proibido e muito antigo sobre hipnose e resolveu levá-lo escondido para ler no orfanato.

No início, ela praticou hipnotismo nela mesma, colocando-se e saindo de transe; depois, ela praticou em Petula, a Pug chata e mau-humorada da Srta. Viborípedes, conseguindo transformá-la em uma mascote dócil e muito querida.

Edna foi a próxima vítima de Molly. Sob influência da hipnose, ela passou a servir só pratos deliciosos, oriundos da culinária italiana, para o deleite de todas as crianças do orfanato.

Porém, enquanto Molly dedicava seu tempo à leitura do livro de hipnotismo, seu amigo Rocky  acabou sendo adotado por uma família americana e nem teve tempo de despedir-se dela, deixando uma grande tristeza no coração da aprendiz de hipnotizadora.

Ela resolveu então hipnotizar a terrível diretora para saber do paradeiro de Rocky. Todavia, a única coisa que ela descobriu foi que seu amigo havia seguido para as imediações de Nova York, para viver com a família Alabaster.

Ela fez uso de todo o ensinamento que aprendeu com o livro antigo para deixar uma plateia inteira em transe e sagrar-se campeã do concurso de jovens talentos de Briesville, recebendo 3.000 libras como prêmio.

Após comprar um pêndulo antigo e muito caro, em uma loja de antiguidades, ela acaba por atrair a atenção de um certo Prof. Nockman, que passa a segui-la, com o intuito de tomar-lhe o livro antigo de hipnotismo.

Com a missão de encontrar seu amigo Rocky, Molly parte então para Nova York, levando Petula consigo. Lá chegando, ela logo faz uso dos seus poderes de hipnotismo para viver em um mundo glamouroso e deslumbrante, cercado de cobiça e de muito orgulho, sem ter ideia dos graves perigos que a esperavam na “Grande Maçã”!

O resto, só lendo muito.

Uma história verdadeiramente “hipnótica”, cativante e recheada de reviravoltas do início ao fim, com uma linda lição de moral reservada para o final.

Livro indicado para todas as idades.

Merece 5 estrelas.

Espero que todos tenham gostado.

Um beijo no coração de cada um de vocês!

Alex André

As Possuídas – Ira Levin


“Na época atual, o combate assume uma forma diferente;
a mulher almeja escapar de uma prisão,
ao invés de nela querer colocar o homem;
não mais procura arrastá-lo para os domínios da inércia,
mas emergir ela própria para a luz da transcendência.
A atitude dos homens cria agora um novo conflito:
é de um modo deselegante que o homem a libera.”

Simone de Beauvoir - "O Segundo Sexo"

Resultado de imagem para capa livro as possuidas de ira levinÉ com este belo pensamento que o brilhante Ira Levin,  nos dá às boas-vindas ao seu livro “As Possuídas”, e também nos brinda com uma história empolgante e cheia de mistérios, do início ao fim – marca registrada deste autor de verdadeiras obras-primas de terror e suspense como: “Meninos do Brasil” e “O Bebê de Rosemary”.

O livro conta-nos a história de Joanna Eberhart, uma fotógrafa profissional que, ao lado de seu marido Walter e de seus filhos Pete e Kim, resolve mudar-se para a cidadezinha pacata de Stepford.

Tudo corria bem até Joanna perceber que as mulheres da cidade pareciam “perfeitas demais” para serem mulheres normais, pois elas lavavam a louça, passavam as roupas de seus maridos e filhos, cuidavam de suas casas, viviam impecavelmente vestidas e estampavam sorrisos genuínos em suas faces rosadas.

A apatia havia tomado conta do lugar, onde os maridos reuniam-se na “Associação Masculina” quase todas as noites, enquanto suas esposas cuidavam “alegremente” do lar.

Mas Joanna, inconformada com aquela situação, trava amizade com Bobbie, uma das moradoras que também não entendia aquela submissão feminina. Juntas, decidem investigar a causa da “febre” de esposas perfeitas, todavia, elas não faziam a mínima ideia que estavam pisando em um terreno para lá de perigoso…

O resto, só lendo muito!

O ritmo de leitura é um pouco lento e travado no início, entretanto, da metade para o final tudo muda e o leitor não vê a hora de chegar ao final, para descobrir o grande mistério envolvendo as mulheres perfeitas de Stepford.

Fez por merecer 5 estrelas.

Para quem estiver interessado: este livro deu origem  a dois filmes, que receberam o título no Brasil de Mulheres Perfeitas. O Primeiro, de 1975, contou com Katharine Ross no papel de Joanna Eberhart; o segundo, de 2004, teve Nicole Kidman, no papel principal. Ambos obtiveram muito sucesso.

Abaixo estão os trailers de ambos os filmes.

Esperamos que tenham realmente gostado.

Um beijo no coração de cada um de vocês!

Alex André & Ana Paula

Código 1 – Crônicas de Plantão – Hang Ferrero


Resultado de imagem para codigo 1 - crônicas  livroBoa tarde, querida Família Lendo Muito.

Trago-vos agora a resenha do livro “Código 1 – Crônicas de Plantão“, do querido autor catarinense Hang Ferrero.

Ao falarmos de saúde, o que vem logo a nossa cabeça é o péssimo atendimento prestado por médicos e enfermeiros, as longas filas de espera para o atendimento da população, a falta de leitos e remédios, e o sucateamento e abandono dos hospitais.

Só alguém com muito talento e sensibilidade como Hang Ferrero para fugir de todo esse negativismo e desgosto e encontrar humor em situações inusitadas que ele tem vivenciado há quase trinta anos atuando como técnico de enfermagem e socorrista.

Todos os “causos” narrados são verdadeiros; ele guardou a ficção apenas para os nomes das personagens e das instituições. As histórias são excelentes e a leitura é tão leve e gostosa, que faz com que o leitor não pare mais de ler até chegar ao final e ficar com um gosto de “quero mais”.

Quero dar destaque para duas histórias que mais chamaram a minha atenção:

1 – Fatalmente
O enfermeiro Joca não gostava muito de pegar elevadores, não por qualquer medo ou “toc”, mas sim por que sempre que subia em um, aconteciam situações divertidas ou embaraçosas.

Certa vez,  enquanto segurava a porta do elevador para que os enfermeiros conduzissem a maca de uma paciente que estava com receio de que seu médico não lembrasse qual joelho que deveria ser operado, ele não se conteve e perguntou-lhe se ela não havia feito um “X” no joelho certo para que o médico não se enganasse…

2 – Urgência
Socorristas de plantão atendem ao chamado de uma mãe pedindo ajuda para a filha de 17 anos que havia desmaiado. Chegando à residência, notaram que a garota já estava quase recuperada e ficaram sabendo que ela vinha apresentando este quadro já fazia algum tempo.

Nada de anormal foi constatado na saúde da filha e eles pediram então para a mãe levá-la no posto de saúde do bairro, pois aqueles desmaios pareciam ser de caráter psicológico.

A resposta dada pela mãe aos socorristas foi algo bem insólito…

O resto, só lendo muito!

Resultado de imagem para hang ferrero

Conhecia o Hang apenas como um privilegiado poeta, e foi uma surpresa mais do que gratificante saber que ele também consegue escrever muito bem em forma de prosa.

Livro digno de 5 estrelas.

Espero que todos tenham gostado.

Um beijo no coração de cada um de vocês!

Alex André

 

Na Escuridão da Mente – Paul Tremblay


Livro Vencedor do Bram Stocker Award

“Me assustou para valer, e eu não sou nada fácil de assustar.”
 Stephen King

Resultado de imagem para na escuridão da mente

Querida Família Lendo Muito, trago-vos uma resenha de um livro que conseguiu tirar o sono até do mestre do horror Stephen King. Trata-se de Na Escuridão da Mente, de Paul Tremblay.

Tudo começa quando a escritora de best-sellers Rachel Neville faz contato com Merry (Meredith Barret), de 23 anos, que aceita ser entrevistada por ela na antiga casa dos Barrets, em Massachusetts, a mesma casa que serviu de palco para um infortúnio familiar que alterou o rumo de toda a sua vida.

Nesta época, Merry contava com apenas 8 anos e vivia com John e Sarah, seus pais, e com Marjorie, sua irmã de 14 anos, que gostava muito dela e vivia inventando histórias para diverti-la.

Nesta mesma época, Marjorie começou a ter um comportamento agressivo, apresentando vários arranhões por todo o corpo, ouvindo vozes estranhas e falando frases desconexas, o que culminou com um quadro grave de esquizofrenia, abalando demais a relação entre seus pais, já que o tratamento de Marjorie era muito dispendioso e John Barret encontrava-se desempregado e sem perspectivas de arrumar um novo emprego tão cedo.

Certo dia, quando John levava Marjorie para sua visita ao psiquiatra, a garota começou a ter uma crise no carro e ele, ao invés de levá-la ao médico,  decidiu levá-la à igreja, para ouvir a opinião do padre Wanderly, que acreditava que a doença mental de sua filha era um caso de possessão.

Pensando em conseguir um bom dinheiro para ajudar a família, John aceita vender a história deles para o Discovery Channel, transformando o caso de Marjorie num verdadeiro “Big-Brother”, com dúzias de câmeras e microfones espalhados por todos os cantos da propriedade.

Merry tinha certeza que a irmã estava fingindo tudo, já que a mesma confidenciara a ela que estava fazendo tudo aquilo para não  desapontar o pai.

O exorcismo de Marjorie foi autorizado pela igreja e estava sendo acompanhado ao vivo por milhões de pessoas grudadas em seus televisores.

Durante o exorcismo, tudo corria bem, com Marjorie apenas rindo e brincando todo o tempo com o padre Wonderly e o seu ajudante, o padre Gavin. Em dado momento as gavetas da escrivaninha do quarto de Marjorie passaram a abrir e fechar sozinhas; e ela gritava desesperadamente sem saber o que estava acontecendo, deixando todos realmente assustados.

Se Marjorie estava apenas mesmo fingindo, como aquilo seria possível? Seria algum truque da própria produtora para despertar medo e chamar a atenção dos telespectadores, ou uma entidade diabólica estava realmente dominando o seu corpo?

O resto, só lendo muito!

Com um final que força muito as células cinzentas dos leitores, pode-se dizer que este livro não chega a ser empolgante, mas também não decepciona; creio que o autor tinha um enredo literalmente fantástico em mãos, só não soube trabalhá-lo tão bem como deveria e eu credito isso à sua inexperiência, já que este é seu primeiro livro publicado.

Merece 3 estrelas

Espero que todos tenham gostado.

Um beijo no coração de cada um de vocês!

Alex André