NÃO CHEGUE TÃO PERTO – Luana Lewis


Tome muito cuidado com quem
você convida a entrar

Resultado de imagem para não chegue tão perto

Querida Família Lendo Muito, é com esta frase impactante que inicio a minha resenha de Não Chegue Tão Perto: livro de estréia da autora e psicóloga clínica Luana Lewis.

Às 15 horas do dia 7 de janeiro de 2011, Stella ouviu sua campainha tocar insistentemente, no hall de entrada de sua linda e enorme residência de Hilltop, situada ao pé das colinas de Chiltern, Inglaterra.  Antes de atender à porta, ela ficou se perguntando como alguém conseguira passar pelo sensor de intrusos, sem que ele disparasse, e como alguém, em seu juízo perfeito, sairia do aconchego de sua casa numa nevasca tão forte?

Ela então dá de cara com uma linda garota loira, diante de sua porta, pedindo para entrar e usar seu telefone; algo que Stella recusa a princípio, mas acaba aceitando, com medo que a garota morresse de frio naquele tempo horrível.

Após entrar, a garota disse que se chamava Blue Cunningham e  viera até ali para falar com o dr. Max Fisher, o marido de Stella, pois descobrira há muito pouco tempo que ele era seu pai biológico!!!

Mesmo sem acreditar muito no que Blue lhe falara – afinal, quem teria um nome destes, ela pensou -, Stella tentou, sem obter sucesso, falar com seu marido pelo celular. Ela então resolveu ligar para Peter Harris, um antigo namorado policial, e contar-lhe tudo a respeito de Blue; Peter prometeu-lhe que checaria no banco de dados da polícia se alguma garota encaixava-se na descrição que ela lhe passara e retornaria  assim que tivesse a resposta.

Após ouvir o click do telefone, Stella deu-se conta que estava presa em sua própria casa, com uma completa estranha, e não tinha certeza alguma se poderia suportar tal barra; ela tomou a decisão de trancar a garota em seu próprio quarto, até descobrir mais a seu respeito.

Peter resolveu ir até a casa de Stella e contar a ela pessoalmente que Blue era ninguém mais, ninguém menos que a filha de Lawrence Simpson!!!

Ao ouvir aquele nome, o sangue de Stella congelou em suas veias, pois aquele homem era o responsável pela sua agorafobia e seu completo isolamento…

O resto, só lendo muito!

Luana Lewis, aproveitando-se de sua vasta experiência como psicóloga, conseguiu criar um thriller psicológico muito bom, com um enredo muito bem elaborado e convincente, mas pecou um pouco no final, deixando-o previsível. O que eu mais gostei foi o fato da autora utilizar uma narrativa que se desenrola em três períodos distintos de tempo.

Recebe 3 estrelas!

Espero que vocês realmente tenham gostado.

Um xandylhão de beijos no coração de cada um de vocês!

Alex André (Xandy Xandy)

 

Anúncios

O Outro lado – Natsuo Kirino


Resultado de imagem para do outro lado natsuo kirinoBoa tarde, querida Família Lendo Muito!!!

Trago-vos, desta vez, a resenha de O Outro Lado – um thriller psicológico de tirar de o fôlolego, de autoria de Natsuo Kirino!

O livro narra a história de quatro amigas que trabalham juntas no turno da noite de uma fábrica de marmitas; além do fato de trabalharem juntas, as quatro também têm em comum o fato de levarem vidas bem complicadas. Kuniko, a mais nova do grupo, gasta todo o dinheiro que tem – e também o que não tem – com roupas e acessórios; seu marido a abandonou após descobrir o montante de suas dívidas e agora ela encontrava-se nas mãos de agiotas. Yoshie,  é uma mãe solteira, que cria sua filha adolescente com muitas dificuldades, além de também ser obrigada a cuidar de sua sogra acamada há seis anos, devido a um AVC. Yayoy é mãe de dois garotos pequenos e trabalha na fábrica para sustentar a casa, pois seu marido Kenji não passa de um autêntico vagabundo e jogador compulsivo. Já Masako é a mais velha e líder das quatro, a quem as outras sempre recorrem quando o assunto é dinheiro; todavia, ela também não é nenhum pouco feliz ao lado de seu marido – inclusive eles dormem em quartos separados há bastante tempo – e seu filho não fala com ela desde o dia em que foi expulso da escola.

Certa noite, Yayoi volta para casa e encontra Kenji, que havia chegado mais cedo do que o normal; ela fica sabendo então que ele havia gastado todo o dinheiro que vinham poupando jogando bacará num clube masculino. Ela então confronta o marido a respeito de Anna, uma garota de programa com quem ele estava saindo e o mesmo acaba por desferir-lhe um forte soco no estômago. Cega de raiva, Yayoi acaba estrangulando Kenji até a morte.

A primeira coisa que vem a mente de Yayoi é ligar para a amiga Masako, que ouve toda a narrativa e a orienta a ficar calma, pois ela iria ajudá-la a livrar-se do corpo de Kenji. Yoshie e Kuniko, que precisavam de dinheiro emprestado de Masako acabam aceitando ajudá-la a desmembrar o corpo no banheiro da casa de Masako, colocando-o em sacos pretos de lixo e, posteriormente, descartando-o em pontos diferentes de Tóquio. 

Kuniko acabou sendo descuidada e  largou seus sacos num parque, que logo foram encontrados pelas autoridades. Dois detetives  batem na porta de Yayoi, para perguntar-lhe a respeito do seu marido, mas ela consegue convencê-los que não tinha nada a ver com o crime. 

Posteriormente, a polícia acaba prendendo Satake, o dono do clube masculino que Kenji frequentava, pois o mesmo havia dado uma surra no falecido na mesma noite em que ele fora morto, porque ele estava devendo muito dinheiro e também estava assediando Anna, sua melhor garota de programa.

Yayoi ficou sabendo que receberia um valor bem alto referente ao seguro de seu falecido marido e prometeu dividi-lo com suas amigas.

Tudo caminha para um desfecho feliz para as quatro, até o momento em que o agiota de Kuniko vai até a sua residência, com o intuito de receber o que lhe é devido…

O resto, só lendo muito!

Mais do que ter criado um suspense eletrizante, Natsuo Kirino, retrata-nos brilhantemente a sociedade japonesa e alguns de seus costumes rígidos e retrógrados, como a submissão feminina e a desigualdade salarial entre as mulheres e os homens – algo que é  recorrente na maioria do países, inclusive no Brasil -, a discriminação que  os chamados dekasseguis (brasileiros que trabalham no japão) sofrem por parte do povo japonês, em geral.

Digno de 3 estrelas!

Espero que vocês realmente tenham gostado.

Um xandylhão de beijos no coração de cada um de vocês!

Alex André (Xandy Xandy)

O escorpião da sexta-feira – Charles Kiefer


“Gosto de ver o choque das mulheres, quando compreendem que a dor é real, que Genghis Kahn não é apenas um escorpião amestrado, que a ardência da sua picada supera em tudo o que tinham imaginado.”

O Escorpião da Sexta-FeiraÉ com este cenário tenebroso e angustiante que o narrador e  personagem principal de O escorpião da sexta-feira costuma abater suas vítimas nos subterrâneos escuros da Cúria onde trabalha. Antônio é seu nome e ele trabalha há bastante tempo como arquivista para o arcebispo de Porto Alegre.

Entretanto, seu trabalho aparentemente normal em nada reflete o que acontece com ele após o término do expediente, quando ele transforma-se num  assassino em série frio e meticuloso, que “caça” prostitutas principalmente nas noites de sexta;  suas vítimas são escolhidas a dedo nas boates de Porto Alegre e têm sempre o mesmo perfil: mulheres bem jovens e muito bonitas.

Todavia, o real motivo por trás de tamanho ódio tem um nome: Luísa – sua ex-namorada, a quem ele dedicara todo o seu amor e que o deixara sem nenhum motivo.

Agora, Antônio tinha em suas mãos a chance de vingar-se de Luísa, “abatendo” aquelas mulheres tão pecadoras e culpadas quanto ela; para isso, ele contava com seu escorpião negro Genghis Khan, seu fiel e mortal escudeiro!

O resto, só lendo muito!

O gaúcho Charles Kiefer  conseguiu criar uma história de suspense impactante, eletrizante e viciante, capaz de remeter cada leitor ao sentimento de agonia e desespero dos últimos momentos de vida das vítimas de Antônio.

Digno de 5 estrelas!

Esperamos que tenham gostado.

Um xandylhão de beijos no coração de cada um de vocês!

Alex André (Xandy Xandy)
&
Ana Paula

 

A Mulher Silenciosa – A.S.A. Harrison


Resultado de imagem para a mulher silenciosa capaBoa tarde, querida Família Lendo Muito!

Trago-vos, desta vez, a resenha do livro A Mulher Silenciosa, primeiro e único livro da escritora Angela Susan Ann Harrison, falecida em 2013.

Jodi Brett e Todd Gilbert  conheceram-se logo após um acidente de trânsito, onde ela fora a responsável e ele, o “nervosinho” e “grosseirão”, que gritou muito com ela a princípio, contudo, dias depois convidou-a para jantar e ela, de maneira educada, aceitou.

Agora, 20 anos após este incidente, eles vivem em Chicago, num lindo apartamento com vista para o mar, com dois carros de luxo na garagem, tudo fruto do dinheiro que Todd ganha como empreiteiro bem-sucedido. Já Jodi, é uma psicoterapeuta que atende apenas dois  pacientes por dia – sempre rejeitando os casos mais complexos, como viciados e também pacientes com transtornos mentais ou potenciais suicidas -, deixando muito tempo de sobra para suas aulas de Pilates, de arranjos florais e também para preparar as refeições gourmet que ela e Todd tanto adoram; Freud, o cão da raça golden retriever de pelo louro e brilhante, procura preencher o espaço daquele filho que eles não tiveram.

Aos olhos dos vizinhos e amigos, a vida deles parece bem satisfatória e feliz, só que Jodi sabe que nada disso é verdade. Durante todos estes anos, Todd a traiu com várias mulheres; mesmo assim, ela continua sendo tolerante com a infidelidade do marido, mantendo-se em silêncio, sem jamais confrontá-lo.

Todavia, tudo isto muda quando Todd envolve-se numa relação perigosa com Natasha, uma bela universitária que, além de ser muito jovem, é também filha de Dean Kovacs, o melhor amigo de Todd.

Como se isso só já não bastasse para virar sua vida pelo avesso, Natasha solta uma verdadeira bomba em seu colo: ela está esperando um filho dele, e faz questão que Todd venha viver com ela de uma vez  por todas.

Para isso, ela resolve “esquecer” um vidro de soníferos que estava em seu nome na calça predileta de Todd, ou mesmo ligando para Jodi, para “desculpar”-se por todo o problema que ela estava lhe causando.

De mãos atadas, ele acaba sendo obrigado a ceder aos caprichos de Natasha, mudando-se para um apartamento novo e procurando Harry, seu advogado, para saber quanto do seu patrimônio ele teria que dividir com Jodi; Harry, assim que fica sabendo que ele não era casado legalmente com Jodi, mandou Todd comemorar muito, pois a pobrezinha não ficaria com um único centavo seu!

Ao receber um aviso de despejo, avisando que ela tinha apenas trinta dias para desocupar seu belíssimo apartamento, a ficha de Jodi caiu: Todd não irá mais voltar para ela!

Vendo sua “vida perfeita” ruir à sua frente, Jodi partirá para o ataque, deixando de ser aquela mulher cordata e fiel – que aceita tudo do companheiro, de maneira silenciosa e sem reclamar-, para tornar-se uma verdadeira leoa, capaz de ferir, e ser for preciso, até de matar!!!

O resto, só lendo muito!

O fato da autora ter conseguido intercalar cada capítulo do livro com o ponto de vista de Todd e de Jodi, foi algo que achei fantástico.

Na tentativa de dar mais credibilidade para sua história, a autora carregou demais no perfil psicológico de cada personagem, tornando a narrativa lenta e muito amarrada; a autora esticou demais a história com detalhes irrelevantes e acabou perdendo-se no meio da trama, transformando uma história que tinha tudo para ser um excelente thriller psicológico, num fraquíssimo suspense.

De minha parte, recebe apenas 2 estrelas!

Espero que vocês realmente tenham gostado.

Um xandylhão de beijos no coração de cada um de vocês!

Alex André (Xandy Xandy)

ISCAS – J. Kent Messum


Imagem relacionadaBoa tarde, querida Família Lendo Muito!

Imaginem a seguinte cena: vocês acordam em uma ilha desconhecida, sem lembrarem de como foram parar lá, e ainda por cima ao lado de outras pessoas que vocês jamais viram antes.

Este panorama é mais do que assustador, vocês não acham?

Foi isso mesmo que aconteceu com Nash (guitarrista de uma banda decadente), Kenny (rapaz de 18 anos, que fazia michês), Ginger (namorada de um traficante depravado), Felix (ex-boxeador), Maria (imigrante ilegal e prostituta) e Tal (Tallahasee Jones, que ficava tocando seu violão imundo para ganhar uns trocados). Eles acordaram em uma ilha deserta, sem fazer a mínima ideia de como foram parar ali e sem jamais terem se encontrado antes.

Mas o que será que aquelas pessoas de idades e de raças tão diferentes estavam fazendo ali?

Conforme iam conversando um pouco mais uns com os outros,  ficou bem claro que duas coisas uniam aquele grupo improvável: o fato de serem oriundos dos piores bairros de Miami, justamente os mais perigosos, e também o vício comum de todos em H (heroína).

Ou seja, aqueles seres estavam ali porque ninguém se preocupava com qualquer um deles, nem tampouco sentiria sua falta!!!

Eles encontraram um baú contendo seis  lanches, várias maçãs e barras de cereais, além de uma dúzia de garrafas d’água e um envelope em branco, sem endereço, com um bilhete digitado em um único parágrafo, avisando que eles não seriam ajudados por ninguém e que, para sobrevirem, teriam que atravessar a nado para a outra ilha, onde encontrariam outro baú, contendo as mesmas provisões; contudo, além de alimento e água, eles encontrariam ali, a heroína mais pura que já haviam experimentado na vida.

Perto dali, um iate com quatro tripulantes estava observando de perto as ações que se desenrolavam na pequena ilha, aguardando com verdadeira ansiedade o início da crise de abstinência que acometeria cada membro daquele bando de viciados imprestáveis.

O primeiro a sentir os efeitos fortes da privação da heroína foi Tal; ele atirou-se sozinho ao mar,  rumo à ilha vizinha. Todavia, no meio do caminho, acabou sendo devorado por tubarões, para desespero do resto do grupo e verdadeiro regozijo dos tripulantes malditos.

Será que é melhor ficar naquela ilha, enfrentando os duros efeitos causados pela abstinência, esperando um socorro que possivelmente jamais chegará? Ou é melhor lançar-se àquele mar traiçoeiro, repleto de tubarões vorazes e famintos, só para chegar até a próxima ilha e “viajar” sob os efeitos da mais pura heroína que os aguarda,  acreditando na promessa daquele quarteto sinistro e sádico?

Para obter estas e outras respostas, só lendo muito!

Posso afirmar-lhes que poucos livros mexeram tanto comigo como este.  Leitura recomendada apenas para quem tem estômago forte, pois a riqueza na descrição dos efeitos causados pela abstinência de drogas é algo realmente impressionante e impactante.

O autor conseguiu, através de uma linguagem bem leve, construir um thriller psicológico extremamente forte, capaz de tirar o fôlego de qualquer leitor. O final, então, é totalmente inesperado e chocante!

Esta é a típica história que, nas mãos de um bom diretor de cinema, vai se tornar um verdadeiro sucesso de bilheteria!

Digno de 5 estrelas!

Espero que vocês realmente tenham gostado.

Feliz natal para todos e um xandylhão de beijos no coração de cada um de vocês!

Alex André (Xandy Xandy)

CUCO – Julia Crouch


“Seu Primeiro erro foi convidá-la a entrar…”

 

Resultado de imagem para cuco capa

Boa noite, querida Família Lendo Muito.

Todos nós já fomos ajudados ou prestamos auxílio a algum amigo querido em dificuldades, não é mesmo?

Com Rose Cunningham também não foi diferente. Ao receber uma ligação da Grécia, oriunda de sua amiga Polly Novack, uma cantora de rock em completa decadência, informando que Christos, seu marido falecera em um grave acidente automobilístico, Rose resolveu convidar Polly e seus dois filhos para virem morar com ela na Inglaterra, o que a amiga prontamente aceitou.

O único problema era que Gareth, o marido de Rose, não gostava nenhum pouco de Polly, pois achava que ela fora a única culpada por afastar Christos deles, isolando-o de todos nos Cárpatos.

Gareth e Rose estavam tentando aparar as arestas do casamento, após o nascimento de Flossie, a filha mais nova do casal, produto de uma gravidez inesperada e indesejada por parte do marido de Rose, que chegou até a sugerir  que ela fizesse um aborto.

Com a chegada de Polly e de Nico e Yannis, seus dois filhos, a amizade entre ela e Rose começa a tomar um outro rumo, pois Polly demonstra ter um grande ressentimento e inveja da vida que Rose leva com Gareth que, segundo ela, é bem diferente da vida sem carinho e amor que ela levava com Christos, na Grécia, já que ambos vinham saindo, nos últimos tempos, com vários amantes e só não haviam se separado por causa dos filhos.

Com o passar dos dias, Rose passa a conviver com as explosões de fúria repentinas da amiga; estranhos acontecimentos começam a ocorrer na casa, como a morte do gato da família e também o envenenamento “acidental” de Flossie.

Rose também passa a desconfiar que seu marido estava tendo um caso com Polly, e que sua melhor amiga poderia estar interessada em assumir seu lugar…definitivamente!

Será que Rose tem mesmo razão para preocupar-se? Ou tudo não passa de  simples imaginação de sua mente?

O resto, só lendo muito!

Sabem aquele livro que tinha tudo para ganhar um dez e acaba ficando com nota zero?

Cuco é exatamente este livro, pois a autora tinha todos os ingredientes para criar um thriller psicológico eletrizante, com um final surpreendente, todavia, ela conseguiu estragar seu livro dando um desfecho completamente sem nexo a história, deixando o leitor com mais lacunas do que respostas.

Vários fatos que foram citados no decorrer da narrativa ficaram sem qualquer explicação e muitos personagens não deveriam nem ter existido, pois não acrescentaram nada a história, já que sumiram repentinamente, sem fazer qualquer sentido.

Não vou atribuir nenhuma estrela.

O meu pior erro foi ter terminado de ler este livro horrível!

Perdoem-me pela minha revolta e pelo meu desabafo.

Um beijo no coração de todos!

Alex André

As Possuídas – Ira Levin


“Na época atual, o combate assume uma forma diferente;
a mulher almeja escapar de uma prisão,
ao invés de nela querer colocar o homem;
não mais procura arrastá-lo para os domínios da inércia,
mas emergir ela própria para a luz da transcendência.
A atitude dos homens cria agora um novo conflito:
é de um modo deselegante que o homem a libera.”

Simone de Beauvoir - "O Segundo Sexo"

Resultado de imagem para capa livro as possuidas de ira levinÉ com este belo pensamento que o brilhante Ira Levin,  nos dá às boas-vindas ao seu livro “As Possuídas”, e também nos brinda com uma história empolgante e cheia de mistérios, do início ao fim – marca registrada deste autor de verdadeiras obras-primas de terror e suspense como: “Meninos do Brasil” e “O Bebê de Rosemary”.

O livro conta-nos a história de Joanna Eberhart, uma fotógrafa profissional que, ao lado de seu marido Walter e de seus filhos Pete e Kim, resolve mudar-se para a cidadezinha pacata de Stepford.

Tudo corria bem até Joanna perceber que as mulheres da cidade pareciam “perfeitas demais” para serem mulheres normais, pois elas lavavam a louça, passavam as roupas de seus maridos e filhos, cuidavam de suas casas, viviam impecavelmente vestidas e estampavam sorrisos genuínos em suas faces rosadas.

A apatia havia tomado conta do lugar, onde os maridos reuniam-se na “Associação Masculina” quase todas as noites, enquanto suas esposas cuidavam “alegremente” do lar.

Mas Joanna, inconformada com aquela situação, trava amizade com Bobbie, uma das moradoras que também não entendia aquela submissão feminina. Juntas, decidem investigar a causa da “febre” de esposas perfeitas, todavia, elas não faziam a mínima ideia que estavam pisando em um terreno para lá de perigoso…

O resto, só lendo muito!

O ritmo de leitura é um pouco lento e travado no início, entretanto, da metade para o final tudo muda e o leitor não vê a hora de chegar ao final, para descobrir o grande mistério envolvendo as mulheres perfeitas de Stepford.

Fez por merecer 5 estrelas.

Para quem estiver interessado: este livro deu origem  a dois filmes, que receberam o título no Brasil de Mulheres Perfeitas. O Primeiro, de 1975, contou com Katharine Ross no papel de Joanna Eberhart; o segundo, de 2004, teve Nicole Kidman, no papel principal. Ambos obtiveram muito sucesso.

Abaixo estão os trailers de ambos os filmes.

Esperamos que tenham realmente gostado.

Um beijo no coração de cada um de vocês!

Alex André & Ana Paula

Um Passe de Mágica – William Goldman


Resultado de imagem para um passe de mágica william goldmanQuerida Família Lendo Muito, escolhemos uma  resenha muito especial para aquecer a noite de todos vocês. Trata-se de Um Passe de Mágica, um thriller psicológico de gelar o sangue, de autoria de William Goldman, o mesmo que escreveu o grande sucesso Maratona da Morte.

Charles Withers, mais conhecido por Corky, era um garoto muito desajeitado, tímido e magriço, que nutria uma paixão platônica pela bela Peggy Ann Snow, a garota mais bonita da escola. Além do amor não correspondido, Corky também tinha uma grande atração por mágica; ele até ambicionava ser um mágico famoso e rico.

Aos 19 anos, Corky saiu de casa e partiu em busca do seu sonho; nesta época, ele conheceu Merlin Jr., um mágico que já tivera seus dias de glória, mas agora estava em decadência. De tanto Corky insistir, Merlin Jr. aceita-o como seu assistente. Aos poucos, o velho ilusionista ensina-lhe seus truques mais secretos, e Corky vai então aprimorando sua técnica.

Quando Merlin Jr. faleceu, Corky tinha já 26 anos; ele então resolveu lançar-se ao show business, fazendo suas primeiras apresentações em uma boate. Através de seus show nessa boate, ele travou contato com Ben Greene, o Carteiro. Este era um homem muito rico e um empresário visionário que, em pouco tempo, transformou o então desconhecido Corky, em um mega mágico.

Corky resolve então inovar ainda mais, passando a usar Fats em seus shows – um boneco de ventríloquo de madeira muito adorável e simpático. É nessa época também que ele reencontra Peggy Ann Snow, seu amor juvenil. Agora, além de alcançar a fama e o reconhecimento tão sonhados, ele estava ao lado da mulher que ele desejara por toda a vida.

Ele só não fazia ideia que, a partir daquele momento, ele passaria a participar de um macabro jogo de vida e morte.

Afinal, Corky Withers detém o controle de  Fats ou é Fats quem detém o controle de Corky Withers?

Para saber esta e outras respostas, só lendo muito!

Um livro excelente, com uma trama eletrizante e cuja tensão só vai aumentando a cada página virada. O final é simplesmente assombroso e totalmente inesperado.

É digno de 5 estrelas.

Para não deixar de citar: houve um filme homônimo, de 1978, com Anthony Hopkins, Ann-Margreth e Burgess Meredith no elenco. Vale a pena conferir.

Esperamos que tenham gostado .

Um beijo no coração de cada um de vocês!

Alex André & Ana Paula

 

 

A Última Casa da Rua – Lily Blake, David Loucka e Jonathan Mostow


A Última Casa da RuaEste livro narra a história da jovem Elissa, que apresentava sérios problemas de relacionamento com Sarah, sua mãe, e também vivia magoada e cheia de ressentimentos com seu pai, um músico de uma banda de rock, que se separara há bastante tempo de sua mãe. Mãe e filha moravam em um pequeno apartamento em Chicago e mal se falavam, vivendo como duas verdadeiras estranhas sob o mesmo teto.

Um certo dia, sua mãe anuncia que elas mudariam para a cidade de Seattle, pois ela havia encontrado uma belíssima casa por uma verdadeira pechincha. Essa seria a chance de um novo recomeço para as duas, pois poderiam aproveitar a mudança de ares para passarem mais tempo juntas e colocarem as diferenças de lado de uma vez por todas.

Entusiasmadíssima com a mudança e com a possibilidade de uma nova vida com sua mãe, Elissa parte para Seattle e defronta-se com uma residência realmente maravilhosa. Ela só não imaginava que a última casa daquela rua estivesse envolvida em um crime horrível:  uma garota havia matado seus pais de maneira brutal e desaparecera, sem jamais ser encontrada novamente. Este era o verdadeiro motivo para o que o preço dos imóveis daquela rua terem despencado vertiginosamente.

Ryan, o irmão mais velho de Carrie Anne, a assassina cruel, ainda morava sozinho na velha casa. E Elissa acaba por envolver-se amorosamente com o solitário rapaz. Ela só não tinha ideia de quão caro e perigoso poderia ser este relacionamento…

O resto, só lendo muito!

Este é um livro recheado de suspense e mistério, que realmente consegue prender a atenção do leitor do início ao fim. Nota 10!

P.S.: Esta obra foi baseada no filme homônimo, estrelado por Jennifer Lawrence e Max Thieriot. Vale a pena conferir.

Espero que tenham gostado.

Um beijo no coração de cada um de vocês!

Alex André

 

JOGOS MACABROS – R.L. STINE


Resultado de imagem para JOGOS MACABROS - R.L. STINEA história tem como pano de fundo a cidade de Shadyside, onde a rica e excêntrica família Fear tem um passado muito terrível e sorumbático.

Apesar de toda a  fama negativa de sua família, o jovem Brendan Fear parece fugir à regra, já que é muito sorridente e simpático, e está sempre cercado por muitos amigos. E, para comemorar seu aniversário de 18 anos, Brendan decide dar uma festa exclusiva na sua casa isolada da  Ilha do Medo. Todos deveriam ir de barco até lá, pois era o único meio de chegar até a velha mansão.

Entre os convidados estava a jovem Rachel Martin, que trabalhava numa lanchonete e que tinha uma queda pelo belo rapaz. Mesmo alertada por todos, a jovem resolve aceitar o convite e ir à festa do seu amado sem medo algum.

Para esquentar de vez a festa, Brendan decide promover um jogo entre os convidados: ele formou duplas que teriam que encontrar objetos listados da velha mansão. Rachel tem mais sorte que os outros, pois forma dupla com Brendan, seu amado, e também um dos donos da mansão. O jogo começou bem, com pequenos sustos, mas conforme o tempo foi passando, os convidados começaram a perceber que Brendan Fear tinha uma mente verdadeiramente perturbada, igualzinha a de todos os outros membros da família Fear. E que eles teriam que lutar pela sobrevivência! 

O resto, só lendo muito!

Mesmo sendo considerado um livro de terror infanto-juvenil, posso dizer que me surpreendi positivamente com ele. Lembrou-me vagamente um pouco de Poe, por isso indico para qualquer idade. Nota 8,5.

Espero que tenham gostado.

Um beijo no coração de todos.

Alex André