Love – A História de Lisey – Stephen King


Imagem relacionadaO livro narra a história de Lisey, viúva de Scott Landon, um famoso escritor.  Após o falecimento do célebre marido, ela tomou posse de todo o seu espólio, que consistia em vários manuscritos ainda inéditos e do grande vazio que se instalara em seu coração.

Através de um relato profundo, a agora supérstite Lisey, leva-nos ao dia a dia do casal, com desabafos por muitas vezes ter ficado em segundo plano, pelo simples fato de ser a “esposa” de Scott Landon.

Como é a própria Lisey quem narra a história, tomamos conhecimento dos muitos traumas de seu marido, e também de Booy’a Moon, um lugar mágico e lindo, que fez parte da infância de Scott e de seu irmão Paul; neste lugar, eles brincavam com os bools de caça a um tesouro imaginário…

Aliás, o termo bool é citado inúmeras vezes durante a história, algo que chega até incomodar um pouco, diga-se de passagem.

Também somos apresentados ao lado sombrio de Scott, que tem tudo a ver com a maldição da família Landon, e que deixou inúmeras chagas no escritor… chagas estas que jamais cicatrizaram!

E é neste “clima” que Lisey reúne forças para limpar as coisas e seguir em frente, até o momento em que passa a receber ameaças de um estranho, que deseja apossar-se, a todo custo, dos manuscritos de Scott.

Será que ela conseguirá livrar-se deste estranho perigoso e também superar de vez a morte de seu marido?

O resto, só lendo muito!

Esta leitura foi bem fastidiosa e cansativa, principalmente por conter diferentes passagens de tempo; se o leitor não prestar bastante atenção a isso, ficará realmente perdido e confuso com tantas informações e divagações desta história de amor bem insólita.

Merece 2 estrelas.

Esperamos que tenham gostado.

Um xandylhão de beijos no coração de cada um de vocês!

Alex André (Xandy Xandy)
&
Ana Paula

Anúncios

O Segredo de Wilhelm Storitz – Júlio Verne


O Segrêdo de Wilhelm StoritzBom dia, querida Família Lendo Muito!

Nada melhor do que iniciar a nossa sexta-feira com uma resenha do grande Júlio Verne, não é mesmo?

Escolhi desta vez O Segredo de Wilhelm Storitz, último livro escrito pelo autor, concluído 19 dias antes de seu falecimento.

A história começa quando o engenheiro Henrique Vidal recebe uma carta de seu irmão Marc, datada de 4 de abril de 1757, pedindo para que ele o visitasse em Ragz, Hungria, com o intuito de matarem as saudades um do outro, visto que os irmãos não se viam há mais de um ano, e também para  apresentar-lhe sua bela noiva Myra, oriunda da importante família húngara Roderich. O casal firmara um pacto de apenas marcar a data do casamento após a chegada de Vidal, como Henrique era mais conhecido.

Em 13 de abril, véspera de sua partida, Vidal foi visitar seu amigo particular que era chefe  de polícia, para tirar seu passaporte e ficou sabendo que seu irmão tirara a sorte grande, pois Myra Roderich era realmente uma moça bonita e muito graciosa. Contudo, devido à sua beleza, a moça já fora cortejada por um outro cavalheiro antes, mas o Dr. Roderich, seu cioso pai, havia rejeitado as investidas do tal pretendente.

Quando Vidal perguntou ao amigo quem era o cavalheiro em questão, este respondeu-lhe que seu nome era Wilhelm Storitz, filho de nada mais, nada menos que Otto Storitz, um dos químicos mais respeitados de sua época.

Ao chegar em Ragz, Vidal foi recebido com muita pompa e alegria por seu irmão Marc e por toda a família Roderich, principalmente Myra, que já o tratava como um irmão mais velho. O casal fez questão de marcar a festa de noivado para o dia seguinte.

Entretanto, nem tudo era motivo para comemoração, pois naquele mesmo dia, Wilhelm Storitz havia estado na residência dos Roderich, para pedir novamente a mão de Myra, tendo mais uma vez seu pedido negado pelo pai da moça, que preferia ver sua filha morta antes de ter seu sangue magiare (húngaro) maculado pela união com um alemão.

Wilhelm Storitz, cego de ódio, prometeu vingar-se de toda a família Roderich, de uma vez por todas!

No dia da festa do noivado, mais de cento e cinquenta convidados dançavam alegremente no salão enorme da mansão dos Roderich, quando todos começaram a ouvir uma solitária e grave voz masculina, entoando O Hino de Ódio Alemão. Aquela voz parecia vir do nada, pois ninguém conseguia ver o autor de tamanha afronta ao povo húngaro.

O buquê que seria usado pela noiva no dia do casamento foi completamente desfolhado e pisoteado muitas vezes e o registro de certidão civil dos noivos foi feito em milhares de pedacinhos. E o mais estranho de tudo era que nenhum ser vivo foi visto cometendo tais atos de vandalismo, o que causou verdadeiro terror em todos os presentes. 

Será que os Roderich haviam sido alvo de algum tipo de bruxaria cometida por Wilhelm Storitz? Ou o mesmo teria se apossado de alguma fórmula experimental de seu finado pai…fórmula esta capaz de conceder-lhe o controle sobre todos os estados da matéria?

O resto, só lendo muito!

Uma história de tirar o fôlego e também o sono do leitor. Leitura obrigatória para todos os fãs de Júlio Verne.

Algumas edições mais novas alteraram o título original para O Segredo de Guilherme Storitz

Digno de 5 estrelas.

Espero que tenham gostado, pois esta é uma das raras histórias de suspense e terror escritas por Júlio Verne.

Um beijo grande no coração de cada um de vocês!

Alex André

A Maldição de Joel Delaney – Ramona Stewart


Resultado de imagem para capa livro a maldição de joel delaneyBoa tarde, querida Família Lendo Muito!

Para dar início às resenhas desta semana, escolhi uma história de suspense, com requintes de sobrenatural. Trata-se do livro: A Maldição de Joel Delaney, escrito pela autora americana Ramona Stewart.

 Após seu ex-marido Ted tê-la trocado por uma médica geneticista muito mais nova,  Norah Benson, tentava refazer sua vida escrevendo romances de bolso água com açúcar.  Veronica,  sua empregada porto-riquenha, a ajudava com as tarefas diárias da casa e no cuidado com seus dois filhos Carrie e Peter, e também de Barão, seu cão pastor da Hungria.

Certa noite, Joel Delaney, o irmão mais novo de Norah, estava atrasado para o jantar e ela ligou para o apartamento sendo atendida por uma voz pastosa, com um sotaque hispânico, bem diferente da voz suave de Joel!

Ela então resolveu ir até o apartamento do irmão e encontrou-o em estado deplorável, parecendo estar sob efeito de alguma droga, murmurando palavras incompreensíveis em espanhol.

Ela acabou  tendo que interná-lo no Hospital Psiquiátrico Bellevue de Nova York, mas ele lá ficou por apenas um dia, alegando que tudo não passara de uma “viagem” de LSD.

Norah, sentindo-se em parte culpada por ter abandonado seu querido irmão para casar-se com Ted, decidiu trazer Joel para morar com ela, ao menos temporariamente.

Para comemorar o aniversário do irmão, Norah decide então fazer uma festinha particular, convidando Sherry Talbot, a antiga namorada de Joel para a festa. Entretanto, Joel acabou estragando a noite de todos, tornando-se indelicado e falastrão, parecendo estar sob efeito de alguma droga novamente. Sherry alegou estar com uma terrível dor de cabeça, só para ir mais cedo para casa.

No outro dia, Norah estava ouvindo o rádio e ficou paralisada quando o locutor deu a notícia de um terrível assassinato envolvendo uma bela moça, que fora assassinada com requintes de crueldade, tendo sua cabeça degolada e pendurada em uma árvore.

Aquela era a assinatura do Açougueiro, assassino em série que vinha aterrorizando as mulheres de Nova York, e a vítima em questão era ninguém mais, ninguém menos que  Sherry Talbot…

Será que Joel Delaney era um terrível assassino em série? Ou algo sobrenatural e verdadeiramente  demoníaco estaria por trás de tudo?

Para obter as respostas, só lendo muito!

Confesso a vocês que, durante a leitura deste livro, em nenhum momento senti medo, mas sim uma grande tensão, pois a narrativa de Ramona Stewart mantém um ritmo crescente de suspense desde o seu  início; o final é totalmente imprevisível e inesperado.
Antes que alguém tente fazer qualquer tipo de comparação: quero deixar bem claro que este livro foi escrito quase dois anos antes de O Exorcista, de William Peter Blatty.

Digno de receber 4 estrelas!

Aos interessados: existe uma película quase que desconhecida, de 1972, com Shirley Maclaine e Perry King, nos papéis de Norah e Joel Delaney, respectivamente. Aqui no Brasil, este filme recebeu o título de Possuídos pelo Mal.

Abaixo encontra-se o filme completo, em inglês:

 

Espero que tenham gostado.

Um beijo grande no coração de cada um de vocês!

Alex André

ANÁLISE MORTAL – Angelo Miranda


Resultado de imagem para análise mortal livroBoa tarde, querida Família Lendo Muito!

Estamos nos aproximando do Halloween e nada como encontrar aqui a resenha de uma história de terror, não é mesmo?

Pensando nisso, escolhi Análise Mortal, livro de estreia do autor paulista Angelo Miranda.

Na ânsia de economizar cada minuto da hora do seu almoço, o analista de crédito Fred (Frederico Batista) acaba dando um encontrão em um velho mendigo, que usava um cachecol quadriculado e  um grande casaco e ambos acabam indo ao chão.

Ao levantar-se, o velho maltrapilho bradou-lhe, com uma voz assustadora, as seguintes palavras:

“- Achou que podia fugir de mim? Não adianta correr, aliás, corra a partir de agora para salva sua vida e a de quem você gosta. Pensou que passaria ileso pelo que me causaste?”

Antes que Fred pudesse levantar do chão e perguntar ao velho o porquê de tanta raiva, o mesmo já sumira, deixando para trás uma pasta preta e encardida.

Fred resolveu ir até o posto policial, que ficava bem próximo dali, para perguntar sobre o mendigo, mas o guarda que ali estava chegou a desconfiar de sua sanidade, pois, segundo ele, não havia acontecido qualquer encontrão enquanto ele esteve de sentinela.

Sem entender nada e com medo de acabar sendo levado para o hospício, Fred resolveu ficar com a pasta surrada do mendigo e sumir dali o mais rápido possível. Ele tentou encontrar o velho mendigo pelo resto da tarde, sem sucesso.

A partir de então, Fred passa a ser acometido por visões muito perturbadoras, e mortes muito suspeitas, envolvendo pessoas ligadas direta e indiretamente a ele também começam a acontecer.

Para salvar sua vida, Fred tentará, de todas as maneiras, descobrir a verdadeira identidade daquele homem que tanto o detestava, o que trará implicações imensas para ele, como mudar radicalmente o seu modo de agir com o próximo.

Todavia, será que ainda lhe restará tempo para isto?

O resto, só lendo muito.

O autor está de parabéns, pois conseguiu elaborar uma boa história de suspense e terror, com pitadas de sobrenatural – verdadeira simbiose de “Premonição” com ‘”Arraste-me para o inferno”.

Só achei que faltou um desfecho um pouco mais terrorífico.

Digno de 3 estrelas

Daqui para frente, tomem muito cuidado com quem vocês trombarem  na rua, hein?

Um beijo grande no coração de cada um de vocês!

Alex André

Um Padre em 1839 – Júlio Verne


Resultado de imagem para um padre em 1839Boa tarde, querida Família Lendo Muito!

Selecionei para vocês uma resenha especial de um dos autores que eu mais admiro: Júlio Verne. A obra escolhida desta vez foi Um Padre em 1839, primeiro livro que este maravilhoso autor escreveu e jamais chegou a terminar.

A história começa no dia 12 de março de 1839, quando o velho sino rachado da igreja de São Nicolau,  bimbalhava desde cedo, conclamando os fiéis para lotarem a antiga igreja e acompanharem de perto o sermão do padre Bruno,  jovem pregador que havia voltado há pouco da Terra Santa e pretendia contar a todos um pouco de sua aventura por lá.

Entretanto, o que era para ser alegria, transformou-se em verdadeira catástrofe, quando o velho sino desprendeu-se do madeirame e despencou lá de cima, vindo a cair no chão do campanário.  Com o barulho infernal, as pessoas se apavoraram e começaram a correr desordenadamente, pisoteando uns aos outros .

Durante a  confusão, a bela Ana foi salva pelo valente advogado recém-formado Jules Deguay, que lutou bravamente para escapar do pandemônio, conseguindo com sucesso chegar até a rua para pegar uma carruagem e levar a jovem ilesa para casa de seus pais.

Naquele dia, oitenta e oito pessoas perderam a vida e outras tantas se feriram gravemente!

Jules e seu amigo Michel Randeau resolvem investigar o terrível acidente e acabam por descobrir que tudo não passara de um plano maléfico para raptar a bela Ana, arquitetado por Pierre Hervé, um jovem e renegado padre – enfeitiçado pela beleza da jovem-, sua madrasta e bruxa maléfica Abraxa e seu amante e assassino Mordhomme (Morte-de-homem, em francês).

O enredo ganha um tom ainda mais sinistro quando Verne volta dez anos na história, para falar da terrível vida que o excomungado padre Pierre levara ao lado de sua verdadeira família, que era paupérrima, até a época em que o bondoso Sr. Derbouil o levara para estudar no seminário. Ali, desde o primeiro dia ele fora maltratado pelos outros alunos ricos, que faziam dele seu principal alvo…

Acredita-se que Júlio Verne estava usando esta história provavelmente como um autêntico desabafo, pois ele contava com apenas 19 anos e também era um estudante de direito nesta época – não é de se estranhar que o personagem principal seja um jovem estudante de direito, de nome Jules. Além disso, ele e seu irmão Paul sofreram maus-tratos quando frequentaram um colégio interno como seminaristas.

Mesmo nesta obra inacabada já se consegue notar o brilhantismo do autor, que já fazia uso de suas grandiosas metáforas. e também do eterno conflito Ciência X Religião, traço marcante em toda a sua vasta obra.

Não poderia nunca deixar de citar as belíssimas ilustrações de Cecília Iwashita, que complementam com brilhantismo cada capítulo desta obra.

O ponto negativo fica por conta do número excessivo de ponto e vírgulas, o que acaba travando a leitura, em certos momentos.

Ao meu ver, poderiam ter usado um ghost-writer para dar um final digno para a história, como fizeram com Charles Dickens em seu livro A Verdade sobre o Caso D.

Mesmo inacabado, é digno de receber estrelas!

Espero que tenham gostado.

Um beijo grande no coração de cada um de vocês!

Alex André

 

 

 

Não durma – Michelle Harrison


“Quando os mortos não dormem,
os vivos têm medo de adormecer…”

Resultado de imagem para capa não durmaÉ exatamente com este terrível impasse que Elliott Drake, um rapaz de apenas 17 anos passa a conviver todas as noites, após ter sofrido um grave atropelamento e passado por um episódio de “quase morte”!

Além de não conseguir dormir, Elliott também sofre de paralisia do sono, vivendo experiências extracorpóreas assustadoras, fazendo com que ele entre em contato com o mundo espiritual, chegando até a enxergar fantasmas.

Como se isso já não fosse terrível, ele também começa a avistar, em seu próprio apartamento que divide com seu pai, o fantasma de Tess Fielding, uma alma atormentada que cometera suicídio na banheira do mesmo apartamento, há vários anos.

Elliott, certo de que sua experiência de “quase morte” era responsável por suas experiências com o mundo espiritual, arruma um propício emprego de guia no museu “Vidas Passadas”, que tinha fama de ser mal-assombrado.

Lá, ele logo trava amizade com Ophelia, sobrinha de Arthur Hodge, proprietário do museu. E essa amizade parece fazer com que Elliott atraia ainda mais a atenção dos mortos, especialmente em uma noite sombria quando, ao retornar de sua última “viagem astral”, ele não consegue voltar ao seu corpo, pois um outro espírito já o havia ocupado. E este terrível espírito quer desesperadamente voltar à vida para ficar com Ophelia!

Elliott travará uma árdua luta para salvar seu corpo e desvendar o funesto mistério que envolve o famoso museu “Vidas Passadas”.

O resto, só lendo muito!

Uma história eletrizante, com um final terrorífico e surpreendente.

Digno de 5 estrelas!

Se vocês tiverem coragem, leiam este livro e comentem para nós o que acharam!

Um beijo no coração de cada um de vocês!

Alex André & Ana Paula

 

 

 

OS FANTASMAS DA SÃO PAULO ANTIGA – Miguel Milano


Resultado de imagem para fotos do livro os fantasmas da são paulo antigaBoa tarde, querida Família Lendo Muito!

Trago-vos hoje a resenha do maravilhoso livro Os Fantasmas da São Paulo Antiga, do autor Miguel Milano.

O livro é divido em duas partes: “Os fantasmas”, onde o autor narra histórias inusitadas e  muitas vezes divertidas, que ele mesmo vivenciou ou apenas ouviu falar quando era criança, e “São Paulo” (retrospecto), onde ele faz um relato bem interessante sobre as alterações que marcaram a cidade de São Paulo, dando ênfase maior para o final do século XIX, até 1949, ano da primeira edição.

Gostei muito destes dois “causos”:

“Mestre” Chico – O sapateiro
“Mestre” Chico era um sapateiro italiano muito conhecido por suas bebedeiras e por sua farolice; o mesmo possuía uma sapataria bem famosa na antiga Ladeira Tabatinguera, a “Sapataria Invidiata” (Sapataria Invejada), onde ele trabalhava arduamente de manhã à noite, de terça a domingo, tirando a segunda para descansar e embriagar-se.

A fanfarrice de “Mestre” Chico chegava ao cúmulo dele afirmar que seu heroísmo superava o próprio Giuseppe Garibaldi, acreditem!

Certo dia, alguns clientes já fartos de suas conversas, indagaram-lhe se ele já havia enfrentado algum fantasma, e ele respondeu com toda a pompa que havia enfrentado vários “fantasmões” quando morava na Itália; ele até chegou ao cúmulo de dizer que havia enfrentado o próprio diabo.

“Mestre” Chico só não fazia ideia que um “diabo” brasileiro iria desmascará-lo da maneira mais humilhante possível!

“Pepino”, o carvoeiro

“Pepino” era um carvoeiro italiano muito querido, que no final do século XIX residia em um dos cortiços antigos de São Paulo, habitado por italianos, que ficava entre a antiga Travessa Palha (hoje Rua Bráulio Gomes) e a Rua do Paredão (atual Xavier de Toledo).

Certa vez, “Pepino” foi tomado por morto pelo médico e seu enterro deveria acontecer no dia seguinte, lá no cemitério da Consolação.

Acontece que o querido carvoeiro era narcoléptico e acordou durante a madrugada, dentro de um caixão e ao lado de outros dois mortos verdadeiros…

O que aconteceu em seguida marcou para sempre a vida dos habitantes do velho cortiço…

O resto, só lendo muito!

Resultado de imagem para fotos de militão augusto de azevedo para Os FAntasmas da São Paulo Antiga

Uma leitura rápida, deliciosa, permeada de histórias inusitadas e fatos históricos de uma São Paulo que, perto do final do século XIX, contava com cerca de 45 mil moradores e pouco mais de 7012 residências, sendo que 14 eram “prédios” de três andares; o calçamento do centro era de paralelepípedos de pedras irregulares e apenas 291 ruas eram iluminadas por 1307 bicos de gás!

Uma belíssima seleção de fotos foi inserida nesta nova edição, retratando com primor muitos  lugares citados no livro entre a segunda metade do século XIX e as primeiras décadas do século XX.

Resultado de imagem para fotos de militão augusto de azevedo para Os FAntasmas da São Paulo Antiga

Digno de 5 estrelas.

Espero que  vocês tenham realmente gostado.

Um beijo no coração de todos!

Alex André

A Filha de Satã – Lois Horowitz


“Os demônios podem inquietar o ar, provocar ventos
e fazer o fogo despencar do céu.”

São Tomás de Aquino

Resultado de imagem para a filha de satãÉ com esta frase impactante na capa que Lois Horowitz nos apresenta A Filha de Satã: uma história de suspense tão impactante, a ponto de causar aceleração cardíaca ao leitor mais corajoso!

Paul Freeman e sua esposa Aly (Alyson), haviam se mudado há dois anos de Boston para San Diego, Califórnia. A filha Tracy, de apenas dezessete anos havia ficado muito chateada com a mudança, pois não conseguira ainda travar novas amizades e não aguentava sua avó Moira, sempre dando ordens e pitacos na sua vida.

Aly, aproveitando o tempo livre que lhe sobrava, resolveu dedicar-se a completar a árvore genealógica da família como forma de presentear a filha Tracy, que logo faria dezoito anos.

Em pouco tempo ela concluiu o preenchimento de todos os espaços relativos ao seu lado da árvore.  Todavia, o mesmo não se aplicava ao lado de Paul, pois ele não se lembrava de praticamente nada a respeito de sua infância e Moira mostrava-se muito reticente quando o assunto recaía sobre Steven, pai de Paul que, segundo ela, havia abandonado a família quando Paul ainda era muito criança, o que a forçou a mudar de sobrenome e criar o filho sozinha, mudando-se frequentemente de cidade em cidade.

Não podendo contar com seu marido ou com sua sogra,  Aly começa a investigar sozinha documentos antigos nas bibliotecas de cidades onde Moira e seu marido moraram, a procura de qualquer pista sobre a origem misteriosa da família de Paul.

A partir deste momento, Paul passa a sofrer de um terrível pesadelo recorrente, onde ele era uma das poucas testemunhas que acompanhava o casamento de seus pais e  todos os presentes tinham rostos completamente idênticos!

Enquanto ministrava sua aula na faculdade de Massachusetts, Paul, sem mais nem menos, fez um discurso favorável ao incesto e casamento entre irmãos, e acabou sofrendo uma síncope nervosa ali mesmo, na sala de aula, e acabou sendo levado para o hospital para fazer exames de rotina.

Kim, uma bela morena, procura Paul na sua volta à faculdade, para entregar-lhe a gravação em cassete que ela fizera da última aula; ela revelou-lhe que ficara encantada com cada palavra que ele dissera e estava disposta a ajudá-lo com seu livro sobre Arte Primitiva.

Paul, incentivado pela beleza de jovem, aceitou prontamente o seu auxílio, o que culminou com o envolvimento sexual entre ambos. Só existia um problema: não existia nenhuma aluna da turma de Paul com o nome de Kim!

As coisas ficam ainda mais estranhas quando Paul passa a consultar-se com o Dr. Frederich, um falso médico que se fazia passar por um hipnoterapeuta de grande prestígio de San Diego. Após cada “sessão”, Paul criava uma espécie de dependência do médico, transformando-se numa pessoa distraída e sem vontade própria. O comportamento de sua filha Tracy, também passa a ser afetado, pois ela também passa a ficar desligada e retraída.

Com que intuito um falso médico “enfeitiçaria” Paul? Quem era a bela Kim que seduzira Paul, de tal forma a fazê-lo trair sua esposa? E por que Moira fazia tanta questão de esconder informações sobre o o marido e sobre o resto da família de Paul?

 Aly decide desvendar o mistério que estava afetando  seu casamento; ela só não fazia a ideia de que se depararia com algo  realmente demoníaco e sobrenatural, mais antigo que o próprio homem. E para salvar sua família ela deveria enfrentar e derrotar a própria…

…Filha de Satã!

O resto, só lendo muito!

O ritmo de leitura é lento e bem travado no início; entretanto, da metade em diante, tudo muda e o leitor não vê a hora de chegar à última página para deparar-se com um final eletrizante, capaz de gelar o sangue de qualquer um!!!

Merece 4 estrelas.

Espero que todos tenham gostado.

Um beijo no coração de cada um de vocês!

Alex André

O Estranho Misterioso – Mark Twain


Resultado de imagem para o estranho misteriosoBoa tarde, querida Família Lendo Muito.

A resenha que estamos postando agora para vocês foi uma indicação da nossa queridíssima amiga e talentosa autora Luciana Fátima. Trata-se do livro O Estranho Misterioso, escrito por Mark Twain, que adquiriu fama ao escrever verdadeiras obras-primas da literatura universal como As Aventuras de Tom Sawyer, As Aventuras de Huckleberry Finn e O Príncipe e o Mendigo, entre tantos outros.

A história de O Estranho Misterioso se passa no pequeno vilarejo (aldeia) de Eseldorf, Áustria.  Naquele distante lugar, no ano de 1590, em plena Idade Média, três garotos eram grandes amigos inseparáveis. Eram eles: Nikolaus Bauman, filho do magistrado da comarca; Seppi Wohlmeyer, filho do dono da maior estalagem da aldeia e Theodor Fischer, filho de um organista da igreja e também professor de música, muito respeitado por todos.

Certo dia, os três passeavam alegremente pelas colinas e bosques da região, quando avistaram um rapaz muito atraente, de voz sedosa e macia, que vestia roupas muito belas e de excelente qualidade.

Após conversarem bastante tempo com este “estranho misterioso”, os três garotos curiosos perguntaram-lhe o seu nome, e ele disse-lhes com um sorriso no rosto, que se chamava Satã, um anjo muito persuasivo e sedutor, e que na verdade era sobrinho do próprio Diabo!

Ao ouvirem isso, os três amigos assustaram-se de verdade. Todavia, eles não faziam ideia de que o encontro com Satã mudaria suas vidas, e a do resto daquele povoado, para sempre…

Coisas muito bizarras e estranhas passara a acontecer, e a aldeia toda começou a crer que tais fatos inusitados eram obra de bruxaria e do Demônio. Com isso, muitos moradores foram condenados à fogueira, pois aquele era o tempo da terrível inquisição.

Entretanto, tudo não passava de obra do “estranho misterioso”, que pretendia demonstrar aos seu três novos amigos, quão vil poderia ser a própria natureza humana.

O resto, só lendo muito!

Não se trata de um livro de terror, mas sim de uma verdadeira reflexão sobre a vilania humana.

Quando Mark Twain escreveu este livro, ele já encontrava-se no final dos seus dias e havia perdido quase todo o seu dinheiro,  transformado-se em um velho amargo e solitário. A Humanidade era vista por ele com extremo pessimismo e total descrença, algo que fica bem claro para o leitor ao término do  livro.

Digno de 4 estrelas.

Esperamos que tenham realmente gostado.

Para aqueles que tiverem interesse: existe uma animação de O Estranho Misterioso que vale muito a pena ser assistida.

Um beijo no coração de cada um de vocês!

Alex André & Ana Paula

O Caso Laura – André Vianco


Resultado de imagem para o caso lauraBoa noite, querida Família Lendo Muito.

Trago-vos uma resenha especial do livro O Caso Laura, do autor André Vianco.

A história começa com o detetive particular Marcel recebendo uma bolada de dinheiro para investigar um caso um tanto quanto estranho.

O cliente em questão era um senhor idoso e muito misterioso, que usava um  símbolo parecido com um 8 em sua cigarreira prateada e não abria mão do anonimato. Ele contratou os serviços de Marcel com o intuito de descobrir com quem Laura – a mulher mais importante de sua vida, segundo ele-, estava se encontrando todos os dias.

Laura trabalhava como restauradora de obras de arte e encontrava-se muito abalada devido ao estado de saúde de seu pai, que sofrera um derrame e encontrava-se em coma há algum tempo e agora vinha apresentando uma piora no seu quadro. Além disso, ela trazia marcas nos pulsos devido a uma tentativa de suicídio no passado, pois ela fora a causadora direta da morte de seu filho pequeno – algo que custou-lhe o casamento e também uma prisão por três anos.

Marcel descobriu que Laura encontrava-se todos os dias em uma pracinha com Miguel, com quem ela podia conversar e dividir sua dor. Aparentemente este homem misterioso só estava interessado em ajudá-la a seguir em frente com sua vida.

Entretanto, com o passar do tempo, Marcel acabou por apaixonar-se perdidamente por Laura, sendo responsável até por salvá-la de uma nova tentativa de suicídio. Seu amor é correspondido e eles acabam envolvendo-se em uma tórrida relação.

Alan é um outro personagem importante, pois ele era um investigador de polícia que jamais se recuperara da morte de sua esposa, assassinada em uma troca de tiros ocorrida em plena rua. Além disso, ele também estava sendo investigado de perto pela belíssima Gabriela, uma agente que fora enviada pela Corregedoria para descobrir se ele era culpado ou inocente de ter cometido quatro homicídios.

Qual é a identidade verdadeira do homem misterioso que contratou Marcel? E quais são as verdadeiras intenções de Miguel, o “amigo-oculto” de Laura?

Para saber essas e outras respostas, só lendo muito!!!

Uma história de suspense e mistério, com uma pitadinha de sobrenatural na medida certa, e que faz com que o leitor reflita profundamente sobre a espiritualidade. Consegui até traçar um paralelo com o filme Cidade dos Anjos.

Este foi meu primeiro contato com o autor e confesso que gostei muito da escrita dele. Assumo o compromisso de ler e postar resenhas de outras obras publicadas por ele.

Digno de 5 estrelas.

Espero que tenham realmente gostado.

Um beijo no coração de cada um de vocês!

Alex André