LUCIANA FÁTIMA – Alex André (republicado)


Acróstico em homenagem ao aniversário da minha querida Lú (Luciana Fátima) – escritora, professora, amiga sincera.

L apida sua arte de uma forma simples, original.

U niu-se à fotografia de uma maneira tão magistral.

C  olhendo sempre bons frutos desta parceria.

I ncrível como consegue ter domínio completo da prosa e da poesia.

A liás, essa teve sempre um papel de destaque  em sua vida.

N em tenho muito o que dizer de seu “noivado” com Álvares de Azevedo.

A cho que é a única que conheceu de verdade todos os seus medos, loucuras e segredos.

F ez ao “Poeta Maldito” mais do que uma homenagem, resgatou-lhe o devido respeito.

A cho impossível quem  não goste de ti, já que és tão cativante.

T er qualquer contato contigo, mesmo que breve, já é deveras  gratificante.

I nfeliz daquele que não teve ainda oportunidade de conhecer alguém tão fascinante.

M eus parabéns por mais uma primavera em seu lindo horizonte.

A proveite bem seu dia,  Lú querida, pois hoje os anjos estão radiantes!!!

Alex André

Espero que a Alegria sempre a acompanhe em todos os momentos de sua vida…

O Menino do Dedo Verde – Maurice Druon


Resultado de imagem para o menino do dedo verdeQuerida Família Lendo Muito, trago-vos hoje a resenha de um livro maravilhoso, considerado por muitos um paralelo de O Pequeno Príncipe. Trata-se de O Menino do Dedo Verde, de autoria do francês Maurice Druon.

A história começa com o nascimento de João Batista. Acontece que o menino não gostou nenhum pouco do seu nome e esperneou e chorou muito quando o chamaram de João Batista, afinal, não fora ele quem escolhera o nome e sim os adultos.

Logo depois, ele passou a ser chamado de Tistu, pois apelidos são formas naturais de se chamarem as crianças.

Tistu era loiro e de olhos azuis e nascera em uma família muito rica, pois o Sr. Papai, seu pai, era um importante fabricante de canhões da cidade de Mirapólvora. Ele tinha certeza que seu filho querido o sucederia na fábrica.

Todos achavam-no tão bonito a ponto dele acreditar que a beleza era algo tão natural; para ele, a feiura deveria ser uma exceção!

A Dona Mamãe e o Sr. Papai resolveram educá-lo em casa mesmo até os 8 anos, ensinando coisas simples para o filho querido. Ele aprendeu com a mãe o princípio da leitura, a somar, subtrair e até multiplicar e dividir, apenas observando a natureza.

Então ele foi mandado para a escola, para que se juntasse às demais crianças de Mirapólvora. Contudo, no terceiro dia ele conseguiu ser expulso por dormir em sala de aula.

“Prezado Senhor, o seu filho não é como todo mundo. Não é possível conservá-lo na escola.” – era o que a carta que o professor de Tistu mandara para eles dizia.

Ele havia sido devolvido aos pais e todos passaram a olhá-lo torto, se perguntando o que seria daquele menino bonito. Só o Ginástico, seu pônei de estimação, não o censurava.

Seus pais resolveram que ele não iria nunca mais para a escola e não tocaria jamais em qualquer outro livro; dali para frente ele se tornaria gente grande, aprendendo as lições apenas observando o desenrolar das coisas.

Primeiro, ele teve aulas com o Sr. Bigode, que aparentava ser muito severo, mas que no fundo era um amor de pessoa. Ele ensinou todo o segredo da jardinagem para Tistu; quando o garoto semeou algumas flores nos vasos e ela floresceram no mesmo dia, ele disse para Tistu que ele nascera com o polegar verde, porém,  ele deveria manter essa informação em segredo, pois aquilo era um dom e gente grande não lida bem com essas coisas.

Depois, ele foi ter aulas com o Sr. Trovões, que apresentou-lhe a cadeia da cidade. Tistu achou as pessoas tão miseráveis e tristes, e o lugar era tão horrível, que ele questionou o Sr. Trovões sobre aquele tratamento dados aos presos. Trovões disse-lhe então que aquele lugar servia de castigo para aqueles que cometeram crimes, todavia, Tistu ficou com a impressão de que deixar as pessoas expiarem seus erros em um lugar tão horrível, não servia para nada.

Durante a noite, ele resolveu então agir: foi até os muros da cadeia e usou seu polegar para modificar a prisão. Ao acordarem, os habitantes de Mirapólvora deram de cara não com uma cadeia, mas com um verdadeiro Castelo de Flores.

Aquilo era tão estranho que eles resolveram constituir um congresso de botânicos para examinar as flores da cadeia de Mirapólvora, mas as explicações não foram satisfatórias.

Depois, ele acompanhou o Sr. Trovões em uma visita às favelas da cidade; lá chegando, ele viu pessoas muito pobres, morando em casebres lúgubres e levando uma vida dura e miserável.

Ao voltar, ele teve a ideia de mudar o aspecto daquele lugar utilizando seu polegar verde novamente. Na manhã do outro dia, aquele horrível lugar transformara-se em uma área lindamente florida, ou seja, uma verdadeira paisagem de cartão postal.

As pessoas acharam aquele lugar tão belo e formoso  que começaram a pagar entrada como se ali fosse um museu.

Vou parar por aqui, para não estragar as surpresas que o autor preparou para vocês…

O resto, só lendo muito.

Um livro considerado infantil, porém, de infantil não tem nada, já que traz inúmeros ensinamentos para todos nós, que nos consideramos adultos.

Sortudo foi o tradutor da minha edição,  D. Marcos Barbosa, pois ele teve a honra de traduzir duas obras-primas: O Pequeno Príncipe e o Menino do Dedo Verde.

Merece 5/5 estrelas

Gostaria de agradecer muito a Dra. Milene Penariol Bizarro, minha T.O. (terapeuta ocupacional) que presentou-me com vários livros de sua coleção: O Menino do Dedo Verde estava entre eles.

Espero que tenham gostado.

Um beijo enorme no coração de cada um de vocês!

Alex André

Dois Olhos Dentro da Noite – Alice Boutrox


Resultado de imagem para Dois Olhos Dentro da NoiteBoa noite, querida Família Lendo Muito!

Escolhemos mais uma resenha para aquecer a noite de vocês. Trata-se de Dois Olhos Dentro da Noite, de autoria de Alice Boutrox.

O livro narra a história de Helena e Daniel Ardent, dois irmãos que, juntamente com seu cãozinho Candi, foram passar férias em Araignat, um lugarejo isolado, situado a alguns quilômetros de Puy, França. O convite partiu da Sra. Chabert, amiga de sua mãe; eles iriam hospedar-se na velha mansão que ela havia herdado de sua tia, a Sra. Fortier.

Chegando lá, os irmãos começam a explorar o lugar e, como em toda velha casa, descobrem-se envoltos em um grande mistério.

Como se já não bastasse a atmosfera funesta da casa, eles acabam encontrando pessoas muito sinistras de verdade, como a governanta Rosa Bernard, sua filha Gina, o professor Saghal e sua esposa Milly.

Um rapaz chamado Régis Pavel torna-se amigo de Daniel; ele também está muito interessado na movimentação estranha da casa, algo que serve para despertar a atenção de Helena.

Com o passar dos dias, coisas muito estranhas começam a acontecer na casa: portas se fecham sozinhas, luzes se acendem e apagam e, para aumentar ainda mais o mistério, um par de olhos verdes brilhantes aparece sempre no espelho de um escuro corredor.

Afinal, qual será o grande enigma da velha mansão da Sra. Chabert?

O resto, só lendo muito!

Para os fãs de terror, este livro chega a decepcionar, pois está mais para uma história policial. Contudo, a história é muito bem construída, com um final bem coerente, mas não tão surpreendente.

Merece 3/5 estrelas.

Esperamos que tenham gostado.

Um beijo no coração de todos!

Alex André & Ana Paula

 

Mentiras Perigosas – Tamara Arianne


mentiras perigosas

Muito boa noite, querida Família Lendo Muito!

Trago-vos a resenha de um livro do gênero policial, muito bem escrito pela Tamara Arianne (Tammy), uma brilhante escritora, que eu tive a sorte de conhecer por intermédio do sebo virtual dela.

Para quem quiser conhecer o acervo do sebo, visite a página dela no https://www.facebook.com/sebovirtual2017?fref=ufi

A história começa quando a jornalista freelancer Julia muda-se para o apartamento de sua avó que fora vítima de homicídio e, durante a arrumação, acaba encontrando um velho caderno com um manuscrito escrito pela sua querida antepassada.

Aline, sua bela irmã,  com uma carreira promissora como modelo, deu-lhe a ideia de usar o manuscrito como base para um livro, pois Julia desde muito jovem aspirava ser escritora.

No início, a ideia de “plágio” assusta Julia, porém, depois de muito refletir sobre o assunto, ela acaba aceitando. Enquanto fazia a leitura, ela acha estranho que sua avó não tenha dado nome às personagens; ao invés disso, ela optou por usar apenas letras.

No apartamento de cima morava James, vizinho de idade bem avançada e muito bondoso, que afirmava ter  conhecido muito bem a avó delas; ele inclusive achou Aline muito parecida com a finada.

Ele demonstrou um grande interesse em ficar com uma enorme estátua de Azazel, anjo guardião da porta do paraíso, mas Julia deixou bem claro que não tinha qualquer interesse em desfazer-se dela.

Ela perguntou-lhe a respeito do avô que elas jamais conheceram, mas ele desconversou, dizendo que jamais o vira.

O manuscrito falava sobre um ricaço muito famoso, que frequentava a alta sociedade porém, na verdade ele era um chefe do crime organizado impiedoso, que matara a mulher e fora traído pelo seu braço direito. Ela resolveu chamá-lo de Tomaso Ferrazo, pois sua avó se referia a ele como T.F.

Em nome da Editora Primus, Patricia Wells, marca uma reunião com Julia para discutir pequenos ajustes em seu livro; durante a reunião, ela acaba conhecendo Darius, um famoso escritor de livros policiais, que a interpela sobre a fonte de seu livro. Julia resolve mentir e acaba dizendo ao rapaz  presunçoso que tudo havia saído de sua fértil imaginação.

Na noite de autógrafos, um homem idoso e muito magro pediu-lhe que autografasse seu livro. Ele dizia chamar-se Antonio e, antes de despedir-se, disse a ela que o final do livro poderia ser diferente.

Darius também apareceu por lá, parabenizando-a pelo ótimo trabalho de pesquisa sobre Toni Félix, o verdadeiro T.F. ao qual se referia sua avó no manuscrito e que ela resolvera chamar de Tomaso Ferraro. Um pouco assustada, já que Julia jamais ouvira falar daquele nome antes, ela pede para conversar com Darius ao término do evento.

Quem também esteve presente foi o belo Alex Rian, ex-medalhista olímpico de natação, que agora era dono de uma rede de lojas de material esportivo, e estava próximo de ser lançado como político. Quando ele quis marcar um encontro para mais tarde, ela nem pensou duas vezes, já que era apaixonada por ele desde a adolescência.

Antes, ela foi ao encontro de Darius e ficou sabendo que ele também pensara em escrever sobre Toni Felix, já que o mesmo havia sido um famoso ricaço, que comandava o crime organizado nos anos 50/60. O mesmo era um homem implacável, que matava seus inimigos de forma sádica, chegando a matar a própria esposa. Porém, no final, foi traído por um dos seus capangas, que fugiu com sua amante, levando todo a sua fortuna. A única parte diferente na história era o detalhe do livro de contabilidade que Julia incluíra no livro.

Darius dizia ter muito interesse na história, pois seu avô fora um dos informantes de Toni Felix, que jamais fora encontrado; sua avó havia sido uma prostituta que acabou sendo morta por um dos seus clientes, deixando seu pai e sua tia Theresa órfãos. Eles foram adotados posteriormente por um policial que investigara o caso na época. Seu pai tornou-se tão obcecado pelo caso, que acabou formando-se em direito apenas para ter a chance de investigar melhor o caso, sem jamais obter qualquer pista sobre o desaparecimento do avô de Darius.

Depois de contar-lhe toda essa história, Darius pediu a Julia que ficasse alerta, pois ao escrever aquele livro, ela acabara de mexer com pessoas muito poderosas e perigosas, que não rasgavam para nada. Ela deveria desconfiar de tudo e de todos, inclusive dele.

A partir daquele momento, a vida de Julia vira de cabeça para baixo e, de um modo bem terrificante, ela passará a entender que uma mentira, por menor que seja, pode trazer-nos consequências atrozes e até fatais…

Não vou contar mais, pois posso estragar as inúmeras surpresas que a autora reservou para vocês.

O resto, só lendo muito!

Uma história alucinante, repleta de suspense e muitas reviravoltas, culminando com um final totalmente imprevisível. A autora teve a brilhante ideia de criar capítulos bem curtos, que ajudam a acelerar ainda mais o ritmo da leitura.  Se em seu livro de estreia ela já conseguiu surpreender-me tão positivamente, fico imaginando que surpresas ela está preparando para seus próximos livros.

Todavia, como nem tudo são flores, tenho que destacar negativamente  o enorme número de erros que eu encontrei (mais de cem, para ser exato); erros estes advindos de uma péssima revisão.

Nota 4/5

Espero que tenham gostado.

Um beijo no coração de cada um de vocês!

Alex André

 

 

 

 

 

 

 

Esqueça um livro e espalhe conhecimento!!!


Resultado de imagem para esqueça um livro e espalhe conhecimento

Precisamos de vários voluntários por todo o Brasil para fazerem parte do projeto: Esqueça um livro e espalhe conhecimento.  As pessoas que quiserem participar deverão “esquecer” livros no dia 25 de julho de 2017.

Quem de vocês topa participar?

Podem “esquecer” seus  livros na padaria, no restaurante, nos bancos dos parques, nos pontos de ônibus, dentro do Metrô, ou seja, onde acharem melhor.

Não deixem de escrever um bilhetinho para a pessoa que encontrar o livro, explicando o projeto.

Modelo de bilhete:

Ei, você que achou este livro!
Agora ele é seu!
Esta iniciativa faz parte de um projeto de incentivo à leitura e compartilhamento de conhecimento.
Eu escolhi este livro porque…(justifiquem o motivo).

Em 25 de janeiro de 2016, houve a primeira edição do projeto, a qual foi um verdadeiro sucesso.

Portanto, se puderem, participem da 2ª edição que acontecerá no dia 25 de julho de 2017.

Agradeço do fundo do meu coração!

Grande abraço.

Alex André

13 reasons why


13 reasons why (ou Os 13 porquês, para quem prefere a versão brasileira do nome), baseada no livro homônimo de autoria de Jay Asher, é uma série da Netflix, produzida pela Selena Gomez, que, apesar de ser recente e não muito longa (conta com apenas uma temporada de 13 episódios), é a série do momento não apenas entre os adolescentes (seu principal público-alvo), mas também entre os adultos, especialmente os que tem filhos nessa faixa etária tão complexa que é a adolescência.

Caso você ainda não tenha ouvido falar sobre a série, o enredo, um tanto original, mistura drama e suspense, com uma pitada de romance, ao nos mostrar os 13 motivos que levaram Hanna Baker a cometer suicídio, enquanto ouvimos as fitas que ela deixou explicando os tais motivos.

Qualquer um que receba essas fitas um tanto quanto mórbidas e perigosas é um dos 13 porquês, incluindo Clay, nosso co-protagonista, que é um garoto nerd, tímido, sensível e doce que não só nutria uma grande amizade pela morta como também tinha um crush nela.

A série retrata a dor e a culpa daqueles que foram deixados para trás, como Clay e os pais da garota, por exemplo, mas também mostra a hipocrisia de alguns que, apesar de jamais terem se interessado por ela, passam a homenagear-lhe com flores e cartazes após a morte.

Ao contrário do que possa parecer, 13 reasons why não é a típica história sobre bullying em que os mocinhos e os vilões, desprovidos de qualquer qualidade ou explicação razoável para tomar tais atitudes, são claramente definidos. Não, com um toque realista e humano, todos os personagens são bem desenvolvidos de uma forma que você se confunde, identificando-se ora com a Hanna, ora com alguns dos porquês, que, assim como todo mundo, também tem defeitos e qualidades, e seus próprios demônios contra os quais lutar.

Dessa forma, apesar da protagonista passar por alguns acontecimentos incrivelmente pesados, alguns dos motivos que a levarão ao suicídio eram incrivelmente simples, de maneira que o causador muitas vezes sequer poderia imaginar a consequência de seus atos, fazendo com que reflitamos sobre a forma como tratamos as outras pessoas, muitas vezes sem nos colocarmos no lugar delas ou nos importarmos com os problemas que elas enfrentam, porque as pessoas são diferentes entre si, algumas são mais sensíveis do que outras e, às vezes, o que é apenas uma brincadeira para você pode se tornar um trauma para outra pessoa.

O enredo se desenrola no ambiente comum de um colégio de Ensino Médio, representando momentos difíceis e dolorosos pelos quais alguns adolescentes passam todos os dias, motivo pelo qual a série deveria ser assistida não só pelos próprios adolescentes (que vão se identificar e sentir-se reconfortados com a trama), mas também pelos adultos, sobretudo aqueles que tem filhos nessa idade, para que se conscientizem disso e da forma como, por conta dos hormônios, para os jovens tudo é mais intenso do que para os demais, dando assim mais importância às suas reclamações e mudanças de humor.

Algo que não pode passar despercebido nessa resenha é o elenco: Apesar de serem jovens e, via de regra, pouco conhecidos pelo público em geral, os atores como um todo surpreendem, encarnando os personagens como se tivesse sido feitos para o papel, o que contribui muito para manter a qualidade do programa, dando aos personagens a intensidade de interpretação que merecem.

Um dos maiores sucessos da Netflix (se não for o maior), a série choca pela honestidade e crueza com que mostra os traumas pelos quais a personagem passa: Sem muitos cortes mesmo nas cenas mais pesadas, rompe o tabu de não discutir plenamente temas como suicídio (a segunda maior causa de morte entre os adolescentes) e estupro, para não falar em bullying, homossexualidade, machismo, escolha profissional, uso de álcool e drogas, relacionamentos abusivos e o poder que a internet (principalmente as redes sociais) possuem de espalhar rumores e acabar com a vida de alguém para sempre. Disputando o posto de série preferida com Pretty Little Liars13 reasons why merece o meu 10 e espero ansiosamente que façam uma segunda temporada para que possamos rever tantos personagens incríveis e desvendar os mistérios que foram deixados sem resposta no último episódio.

By Ana Beatriz

 

Noite Sem Madrugada – Adonias Filho


Resultado de imagem para noite sem madrugadaBom dia, querida Família Lendo Muito.

Trago-vos uma resenha de um livro que eu comprei por R$ 2,00 em uma das máquinas de livros do Metrô de São Paulo. Trata-se de Noite Sem Madrugada, do gênero policial, escrito brilhantemente por Adonias Filho.

A paz matutina da Rua da Vila, no Catete, Rio de Janeiro, é quebrada pela prisão de Eduardo, marido de Vilma e pai de três crianças pequenas, na sua própria casa. Ele estava sendo acusado de assaltar um banco e de ter matado duas vítimas, com a ajuda de dois comparsas.

Vilma não consegue entender o que está acontecendo com seu marido, pois ela tem certeza absoluta da inocência de Eduardo. Os vizinhos começam a olhá-la atravessado e até o chefe do serviço do marido resolve demiti-lo, alegando que ele já desconfiava de algo.

Tudo isso motivado pelo passado de Eduardo: seu pai, um engraxate italiano, morreu quando ele tinha apenas 4 anos e, mais tarde, sua mãe esfaqueou o amante em um surto  motivado pelo alcoolismo. Depois da prisão dela, ele fugiu para a rua para fazer parte de um bando de pivetes que realizava pequenos furtos, até ser encontrado por Laura, uma mulher bem de vida, que resolveu criá-lo, conseguindo fazê-lo diplomar-se em contabilidade, mas sem nunca adotá-lo de verdade – talvez por medo de sua herança genética – preferindo deixar toda a sua herança para dois irmãos que ela quase nunca teve contato.

O doutor Soares Mendonça, advogado de defesa de Eduardo, acreditava ser muito difícil provar a inocência do marido de Vilma, pois ele havia sido reconhecido por várias testemunhas e não tinha um álibi para a hora do crime.

É então decretada a prisão preventiva de Eduardo e, numa cruzada para provar a inocência do seu amado, Vilma resolve visitar os lugares que Eduardo afirmara estar na hora do crime e falar com as pessoas, na ânsia de achar alguém que pudesse ter visto seu marido; contudo, ninguém quis se comprometer, afinal, seu marido estava sendo acusado de um duplo homicídio.

Após visitar seu marido algumas vezes na prisão, ela sente que Eduardo está entregue tal qual um santo que aguarda seu martírio e talvez não resista até o julgamento, marcado para trinta dias.

Em desespero, Vilma resolve fazer o caminho inverso e falar com as testemunhas que reconheceram seu marido, sem nenhum sucesso. Sua única esperança era que o já muito adoentado doutor Soares, durante o julgamento conseguisse  encontrar uma brecha na lei para salvar Eduardo, algo praticamente impossível…

O resto, só lendo muito!

A força de Vilma é a mesma força que cada mulher que ama  demonstra nas horas difíceis. Um exemplo para nós, homens. 

Um dos melhores livros que li em 2017. A tensão vai subindo a cada página lida, fazendo com que o leitor não consiga parar  e siga até a última página. Prefácio magnífico de Rachel de Queiroz.

Merece mais do que apenas 5 estrelas.
✮✮✮✮✮

Vou continuar “garimpando” pelas máquinas do Metrô para trazer novas resenhas para vocês.

Espero que realmente tenham gostado.

Um beijo no coração de cada um de vocês!

Alex André

 

 

FELIZ PÁSCOA – Alex André


F echava meus olhos o dia todo tentando me concentrar

E xperimentava diversas combinações, sem nunca conseguir poetizar

L ugar nenhum servia para me inspirar

I nsisti em uma frase com coelho e com ela nada conseguia criar

Z anzei  de um lado para o outro com chocolate na cabeça, mas não achava patavina para rimar

P or um instante me enfureci e decidi que era melhor capitular

A í, lembrei que era um acróstico para vocês e resolvi que eu deveria perseverar

S oube então que  paz e alegria seriam as coisas mais importantes que eu deveria lhes desejar

C laro que também deve-se  manter o bom humor, pois só assim poderão de fato celebrar

O vos de Páscoa e chocolate são guloseimas que cada um de vocês deve mesmo aproveitar

A ssim, despeço-me  desejando uma Feliz Páscoa para todos vocês que eu tanto aprendi a amar.

Alex André

 

Para todos voltarem aos tempos de criança…