ISCAS – J. Kent Messum

Imagem relacionadaBoa tarde, querida Família Lendo Muito!

Imaginem a seguinte cena: vocês acordam em uma ilha desconhecida, sem lembrarem de como foram parar lá, e ainda por cima ao lado de outras pessoas que vocês jamais viram antes.

Este panorama é mais do que assustador, vocês não acham?

Foi isso mesmo que aconteceu com Nash (guitarrista de uma banda decadente), Kenny (rapaz de 18 anos, que fazia michês), Ginger (namorada de um traficante depravado), Felix (ex-boxeador), Maria (imigrante ilegal e prostituta) e Tal (Tallahasee Jones, que ficava tocando seu violão imundo para ganhar uns trocados). Eles acordaram em uma ilha deserta, sem fazer a mínima ideia de como foram parar ali e sem jamais terem se encontrado antes.

Mas o que será que aquelas pessoas de idades e de raças tão diferentes estavam fazendo ali?

Conforme iam conversando um pouco mais uns com os outros,  ficou bem claro que duas coisas uniam aquele grupo improvável: o fato de serem oriundos dos piores bairros de Miami, justamente os mais perigosos, e também o vício comum de todos em H (heroína).

Ou seja, aqueles seres estavam ali porque ninguém se preocupava com qualquer um deles, nem tampouco sentiria sua falta!!!

Eles encontraram um baú contendo seis  lanches, várias maçãs e barras de cereais, além de uma dúzia de garrafas d’água e um envelope em branco, sem endereço, com um bilhete digitado em um único parágrafo, avisando que eles não seriam ajudados por ninguém e que, para sobrevirem, teriam que atravessar a nado para a outra ilha, onde encontrariam outro baú, contendo as mesmas provisões; contudo, além de alimento e água, eles encontrariam ali, a heroína mais pura que já haviam experimentado na vida.

Perto dali, um iate com quatro tripulantes estava observando de perto as ações que se desenrolavam na pequena ilha, aguardando com verdadeira ansiedade o início da crise de abstinência que acometeria cada membro daquele bando de viciados imprestáveis.

O primeiro a sentir os efeitos fortes da privação da heroína foi Tal; ele atirou-se sozinho ao mar,  rumo à ilha vizinha. Todavia, no meio do caminho, acabou sendo devorado por tubarões, para desespero do resto do grupo e verdadeiro regozijo dos tripulantes malditos.

Será que é melhor ficar naquela ilha, enfrentando os duros efeitos causados pela abstinência, esperando um socorro que possivelmente jamais chegará? Ou é melhor lançar-se àquele mar traiçoeiro, repleto de tubarões vorazes e famintos, só para chegar até a próxima ilha e “viajar” sob os efeitos da mais pura heroína que os aguarda,  acreditando na promessa daquele quarteto sinistro e sádico?

Para obter estas e outras respostas, só lendo muito!

Posso afirmar-lhes que poucos livros mexeram tanto comigo como este.  Leitura recomendada apenas para quem tem estômago forte, pois a riqueza na descrição dos efeitos causados pela abstinência de drogas é algo realmente impressionante e impactante.

O autor conseguiu, através de uma linguagem bem leve, construir um thriller psicológico extremamente forte, capaz de tirar o fôlego de qualquer leitor. O final, então, é totalmente inesperado e chocante!

Esta é a típica história que, nas mãos de um bom diretor de cinema, vai se tornar um verdadeiro sucesso de bilheteria!

Digno de 5 estrelas!

Espero que vocês realmente tenham gostado.

Feliz natal para todos e um xandylhão de beijos no coração de cada um de vocês!

Alex André (Xandy Xandy)

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s