Lady Barberina & A Outra Volta do Parafuso

Resultado de imagem para lady barberina capaBoa tarde, querida Família Lendo Muito!

Trago-vos mais uma resenha de um grande clássico universal. Para isso, escolhi Lady Barberina & A Outra Volta do Parafuso, de autoria de Henry James.

O livro traz duas histórias bem distintas: Lady Barberina é  uma comédia de costumes, narrada em terceira pessoa, que descreve com sarcasmo e ironia a sociedade inglesa e americana do século XIX; já A Outra Volta do Parafuso é uma autêntica história de terror, com uma pitada de sobrenatural, narrada na maior parte em primeira pessoa, com capítulos muito curtos, que ajudam a acelerar a leitura.

1. Lady Barberina
Durante sua estada em Londres, o médico americano Jackson Lemon acaba apaixonando-se por Lady Barberina, uma bela jovem inglesa que fazia parte de uma família de aristocratas ingleses falidos e esnobes.  Mesmo contra a sua vontade, Lorde Canterville, o pai de Lady Barb, é obrigado a permitir o casamento da filha com aquele  americano “inferior”, pois sua família passava por sérias dificuldades financeiras e o jovem médico surgia como uma verdadeira tábua de salvação, já que era muito rico e também herdeiro de uma grande fortuna no novo continente. 

Após o casamento, o casal parte da Inglaterra rumo aos Estados Unidos, para viver em Nova York, próximo da Sra. Lemon, a mãe do jovem doutor.  

Contudo, depois de  seis meses de casado Jackson Lemon ainda não conseguira fazer com que a esposa abandonasse o ar arrogante e presunçoso com que ela olhava para as pessoas; além disso, Lady Barberina odiava quando seu marido se reunia em casa com seus amigos, pois a casa deles ficava cheia de gente rindo e falando alto.

Já Lady Agatha – irmã mais nova de Lady Barb, que fora passar uma temporada em Nova York com eles -,  era uma moça muito simples e de fácil trato, que acabou apaixonando-se pelo estilo de vida dos americanos, o que acabou por gerar grande revolta na irmã mais velha.

2. A Outra Volta do Parafuso
Um grupo de pessoas aproveitava o calor gostoso do fogo da lareira para contar histórias de terror. Douglas, um dos presentes, revelou aos amigos que conhecia uma história de fantasmas verdadeira; ele tinha em sua posse um manuscrito antigo, escrito pela governanta de sua irmã, revelando um terrível acontecimento que a pobre mulher vivenciara anos antes de sua morte. Contudo, levaria dois dias para buscar o tal manuscrito em outra cidade.

Tratava-se da história de uma jovem que fora contratada como preceptora (governanta) após responder a um anúncio de jornal; seu serviço seria cuidar de  duas crianças órfãs que estavam agora sob a tutela de um tio, que era o seu empregador, porém, ela jamais deveria incomodá-lo sob qualquer assunto relacionado àquelas crianças ou sobre qualquer outro problema que ela viesse a encontrar na residência.

Ela parte então para a mansão que ficava no condado pequeno de Bly e, ao chegar lá, conhece a bondosa Sra. Grose, que apresenta-lhe Flora, uma menina linda e adorável, capaz de cativar qualquer coração empedernido. A jovem babá passa a dormir todas as noites com a pequena Flora.

Ela recebe então uma carta da direção do colégio de Milles, avisando-lhe que o menino fora expulso do colégio por mau comportamento e estava retornando de trem para Bly. Assim que a jovem preceptora pôs os olhos pela primeira vez naquele lindo garoto, todos os pensamentos negativos, oriundos daquela epístola malcriada, foram substituídos por puro amor e encantamento.

Com o passar dos dias, ela passou a acreditar menos ainda naquelas acusações feitas a Milles. Como uma criança tão doce e bela como ele poderia ser má?

Por que será que o tio daquelas crianças era tão frio e insensível em relação aos dois sobrinhos? Na sua opinião, aquelas duas crianças maravilhosas jamais haviam dado qualquer motivo para serem castigadas antes e nem dariam no futuro. 

Certa noite, ela tem a visão de um homem desconhecido, que a fitava de cima da mansão com um olhar libidinoso e ousado. Ela resolveu guardar segredo de todos, pois talvez se trata-se de algum viajante desconhecido que subira no ponto mais alto da propriedade com o intuito de observar dali a bela paisagem.

Dias depois, o mesmo rosto apareceu colado à janela do andar de cima, a olhar não para ela, mas para alguma outra coisa…ou outro alguém!!!

O resto, só lendo muito!

A única crítica que faço a respeito de  A Outra Volta do Parafuso é em relação ao seu final um tanto quanto vago, dando margem para mais de uma interpretação.

Digno de 4 estrelas

Até hoje, não existe nenhum filme baseado no roteiro de Lady Barberina; entretanto, várias adaptações de A Outra Volta do Parafuso foram feitas para a TV e para o cinema, porém, “Os Inocentes”, de 1961, com Deborah Kerr no papel principal, é aclamada por muitos críticos como a melhor.

Segue abaixo, o link do youtube para assistirem ao filme completo:

 

Espero que vocês realmente tenham gostado.

Um xandylhão de beijos no coração de cada um de vocês!

Alex André (Xandy Xandy)

2 comentários sobre “Lady Barberina & A Outra Volta do Parafuso

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s