Minha vida de menina-Helena Morley

Obra que entrou esse ano na lista da FUVEST, substituindo o famoso Capitães da Areia, de Jorge Amado, Minha Vida de Menina conta, através de diários, a vida de Helena (pseudônimo da autora, que na realidade se chamava Alice), uma garota simples que viveu no Brasil imediatamente pós-abolicionista.

O livro é dividido em três partes, que seriam três anos da vida da jovem, contando com histórias mais ou menos interessantes, vividas em Diamantina, Minas Gerais, por diversos personagens, visto que a protagonista tem muitos primos, para não falar nos demais parentes e amigos, mas todas narradas por Helena com as características de um diário.

Vivendo num país quase que totalmente católico, Helena possui também influência protestante do pai, que é de família inglesa e trabalha em minas, sonhando em descobrir uma grande pedra de diamante que o torne rico, mesmo que os tempos férteis em diamantes da, por isso chamada, cidade de Diamantina, tenham se passado há muito.

A mãe, por sua vez, preocupa-se com as dívidas adquiridas por essa insistência do marido em investir num setor falido, tentando obter dinheiro ela mesma de outros ramos, como o comércio, por exemplo. Mesmo sabendo que Alexandre jamais encontrará o que procura, ela não o questiona, sendo loucamente apaixonada por ele e, por isso mesmo, submissa até certo ponto.

Outra personagem muito importante na vida de Helena além dos pais é a avó. Nutrindo um interesse e gosto inato pelo meio ambiente e a natureza, ela adora passar as tardes na casa de avó, que a trata com muitos mimos por Helena ser sua neta favorita, fato que desperta a inveja de suas primas.

Temos ainda Tia Madge, que incentiva a sobrinha a estudar, enchendo-a de deveres que a mais nova hesita em cumprir, preguiçosa, reclamando do cuidado da tia para com ela. Essa mesma tia é ainda notavelmente ruim em costuras, o que causa a Helena alguns problemas quando esta tenta lhe agradar fazendo-lhe o uniforme da escola ou até mesmo vestidos para festas.

O livro conta com mais uma dezena de personagens: Irmãos, vizinhos, amigos, primos, professores, tias e tios de Helena, todos menos importantes do que aqueles citados acima. Por tratar-se de um diário, a obra não possui uma trama de fato, mas é, por outro lado, uma junção de diversas histórias cotidianas, de pouca importância. Justamente por tratar-se do diário de uma garota comum, a obra pode ser um tanto quanto tediosa e maçante, de forma que o aspecto positivo é o fundo histórico: Passamos a conhecer de perto o dia a dia da época, notando coisas como o papel então ocupado por negros e mulheres, por exemplo, bem como a importância dada à religião neste momento. É levando-se tudo em consideração que eu dou um 6 a esse livro e digo que ainda prefiro Capitães da Areia, sem sombra de dúvidas kk.

By Ana Beatriz

2 comentários sobre “Minha vida de menina-Helena Morley

  1. Muito obrigada, irmão, de verdade! Eu estava com medo da resenha ter ficado um pouco ruim pelo livro não possuir um plot, de fato. Fico realmente feliz que tenha gostado! E um analhão de beijos para você kk 🙂

    Curtir

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s