O Casamento de Laucha – Roberto Payró

Resultado de imagem para O Casamento de LauchaBoa noite, querida Família Lendo Muito!

Como muitos de vocês já estão cansados de saber, eu sou um “garimpeiro” de máquinas de livros do Metrô de São Paulo. E em uma das minhas “explorações”, encontrei O Casamento de Laucha: verdadeira obra-prima  da literatura argentina, de autoria de Roberto Payró.

Laucha (ratazana, em castelhano), como a própria alcunha que recebera desde seus 5 anos já dizia, assemelhava-se a um verdadeiro roedor asqueroso, tanto fisicamente – já que possuía cabelo opaco e bem ralo, rosto fino, que se assemelhava a um focinho, bigode falhado e escuro e olhos negros e um pouco saltados -, quanto nas atitudes, já que o mesmo era muito malandro e bastante esperto.

O sujeito vivia para lá e para cá, aplicando pequenos golpes e apostando o pouco dinheiro que mantinha com ele, ou seja, literalmente “vendendo o almoço para pagar o jantar”, até o dia em que desembarca na cidade de Pago Chico, interior da Argentina e lá conhece Dona Carolina: uma italiana já madura, que enviuvara há algum tempo e tocava seu armazém apenas com a ajuda de um velhinho muito debilitado.

A viúva comprava bebidas falsificadas de um fornecedor da cidade, e revendia as doses aos seus fregueses. Laucha, com seu jeito manhoso e sagaz, logo convenceu a tal Dona Carolina a confiar-lhe todo o processo de fabricação das bebidas, já que ele era um exímio fabricante de conhaque; além disso, ele é quem cuidava da caderneta com os lucros e fiados da bondosa senhora.

E de bom empregado para namorado não demorou quase nada. Só que a Dona Carolina não abria mão de casar-se com o Laucha, algo que ele descartou no início, mas acabou aceitando, já que viu que a italiana, além do armazém, possuía algumas terras arrendadas também.

Ele foi então procurar o padre Papagna, com o intuito de marcar a data do enlace e mandar correr os papeis o mais rápido possível. Acontece que Papagna era um sujeito velhaco e muito dinheirista e acabou propondo-lhe um negócio muito mais vantajoso para ambos…

O resto, só lendo muito!

Um livro excelente, com uma história primorosa, que nos expõe o lado mais sórdido do ser humano.

Digno de 3  estrelas!

Espero que vocês tenham gostado.

Um xandylhão de beijos no coração de cada um de vocês!

Alex André (Xandy Xandy)

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s