Os anões – Veronica Stigger

Resultado de imagem para os anões capa livroBom dia, querida Família Lendo Muito!

Pensem num livro inusitado, com formato totalmente diferente do usual e com histórias absurdas e fantásticas, como vocês nunca viram antes.

Sim, este livro existe. Trata-se de Os anões, livro de estréia da autora gaúcha Veronica Stigger.

A capa é toda em cor preta, sem qualquer imagem além do título, que mais parece uma etiqueta colada em algum tipo de agenda; o formato é de bolso e conta com apenas 60 páginas, todas muito grossas, por conta da escolha do miolo em papel cartonado de gramatura bem alta, algo bem diferente do que estou acostumado a ver nos livros.

As histórias selecionadas são bem curtas e exploram temas violentos, como espancamentos e até canibalismo. Tudo é abordado de uma maneira muito leve e ao mesmo tempo distorcida, flertando muitas vezes com o ilógico, mas sem ferir de modo algum o leitor.

O resultado final é maravilhoso, por mais absurdo que possa isso parecer. Mérito do talento de uma autora que escolheu fugir do lugar comum, para marcar seu nome para sempre na literatura nacional, como expoente de uma nova geração de autores que não ligam para o convencional.

Escolhi as duas histórias que mais chamaram a minha atenção.

São elas:

1. Os anões
Um casal de anões muito bonitinho e bastante petulante, aproveita-se de sua diminuta estatura para passar na frente de todos, inclusive de grávidas e de idosos.

Naquele dia, aproveitaram-se da boa-fé da balconista da confeitaria, que cedeu-lhes um banquinho, para degustarem todos os doces e guloseimas disponíveis, totalmente despreocupados com o tempo e até fazendo pouco caso daqueles que encontravam-se em uma fila enorme.

Muitas pessoas sentiram-se tão aviltadas com aqueles dois anõezinhos e resolveram por um ponto final na farra do casal!

2. “Quand avez-vous le plus souffert?” 

Mãe e filha estão passando uma tarde agradável no parque central da cidade natal de ambas. Enquanto a menina preocupa-se em fazer uma “cabana” para sua tão querida progenitora, escolhendo galhos e folhas caídos, a mãe passa as horas tricotando uma blusa.

Em certo momento, a menina resolve pedir-lhe um pedaço de lã, o  que a mãe prontamente atende, cedendo-lhe então um bom pedaço de linha dourada.

A filha enrola seu pedaço de linha no próprio pescoço, demonstrando a mãe como seria possível fazer um colar de lã.

O problema é  que aquela mãe  tinha outros planos para a filha…

O resto, só lendo muito!

Diferente de tudo o que eu já havia lido.

Digno de receber 4 estrelas.

Espero que tenham gostado, pois ele é diferente.

Um beijo grande no coração de cada um de vocês!

Alex André

 

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s