Nascidos em bordeis

O último ano do Ensino Médio pode ser confuso, corrido e cheio de pressão, mas já fez algo de bom por mim: Fez com que eu começasse a gostar de documentários. Até esse ano, confesso que havia assistido a muitos poucos e considerado-os chatos e entediantes. Achei que essa fosse uma característica do gênero e não tentei assistir mais, até que minha professora de redação apareceu com uma lista daqueles que ela considera os melhores documentários (e que mais podem ajudar como repertório na hora de prestar um vestibular). No meio dessa lista enorme, estava Nascidos em bordeis.

O filme se passa na Índia e, como o título sugere, mostra a vida das crianças que são filhas da prostituição e viveram toda a sua infância em bordeis. Tais crianças são vítima de preconceito, não frequentam a escola e, evidentemente, vivem num ambiente terrível para qualquer ser humano em qualquer idade e ainda pior para os pequenos, cuja personalidade ainda está em formação: Cercados por pobreza, violência, sexo, falta de higiene e abuso de drogas. Dessa maneira, parece difícil para essas crianças imaginar um futuro diferente daquele dos pais: Prostituição (para as meninas) e venda ilegal de álcool e entorpecentes (para os meninos), para não falar em roubo.

É quando a figura principal do documentário, uma fotógrafa, decide ver de perto como eles vivem. Para tanto, mora dois anos nos bordeis, se tornando muito próxima das profissionais que lá vivem e, sobretudo, das crianças, para as quais ensina técnicas de fotografia.

Fascinadas com esse novo aprendizado, elas se apaixonam pela arte de fazer fotos e não se importam que os moradores e frequentadores do Bairro da Luz Vermelha não se sintam à vontade na frente das câmeras: Continuam tirando fotos.

Após dois anos de aulas e constante prática de fotografia e edição de fotos, a fotógrafa responsável por ensina-los decide divulgar e leiloar tais fotos afim de matricular a todos em colégios internos, de forma que tenham acesso à educação e se mantenham distantes de um ambiente tão tóxico. Ela conseguirá dinheiro suficiente? As fotografias das crianças farão sucesso? Algum colégio interno vai aceitar os frutos do crime? Os pais aceitarão se afastar dos filhos que, muitas vezes, ajudam a complementar a renda dos pais além de lhes dar alegria e carinho? Isso você só vai saber se assistir…

Real, sensível e delicado, não é à toa que minha professora indicou esse filme e ele venceu o Oscar! Capaz de chocar sem mostrar cenas impactantes, ao narrar as dificuldades pelas quais passam essas crianças, o documentário é fácil de encontrar, presente na Netflix e só não ganha meu 10 pela imagem ligeiramente desfocada em alguns momentos. Sendo assim, dou o meu 9.

By Ana Beatriz

Anúncios

2 comentários sobre “Nascidos em bordeis

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s