Uma Rua Sem Vergonha – Claudio Henrique

Resultado de imagem para capa livro uma rua sem vergonhaBom dia, querida Família Lendo Muito!

Trago-vos, desta vez, mais uma resenha de um livro que eu comprei em uma das minhas “garimpagens” pelas máquinas de livros do Metrô de São Paulo, por apenas cinco reais. Trata-se de  Uma Rua Sem Vergonha, escrito pelo autor Claudio Henrique.

“Toda metrópole tem a sua Pê-Jota
– seu Maracanã da sacanagem. “

Com esta afirmação, o autor começa a contar-nos um pouco do que acontece na Prado Júnior, avenida de Copacabana notória pela presença de garotas de programas que, diuturnamente, alinham-se lado a lado, com roupas chamativas defendendo bravamente seu território na Pê-Jota  – como ela é mais conhecida – enquanto possíveis clientes do sexo masculino, passam de carro, diminuindo a velocidade para escolher entre louras, morenas e mulatas, aquela que mais atiçou-lhes o desejo.

Assim que o carro para, elas aproximam-se da janela do motorista, mostrando-lhe a sua “mercadoria”, aquela que fará com que a escolhida receba como paga pelos seus serviços um dinheiro suficiente para abater a fatura do cartão de crédito, pagar alguma conta atrasada, ou mesmo comprar alguma roupa.

Essas mulheres experimentam diariamente “a difícil vida fácil”, já que algumas  são espancadas, violentadas, têm que disputar lugar com travestis, e acabam por envelhecer muito rápido, o que acaba por torná-las emprestáveis para o “serviço”, forçando-as a virarem cafetinas ou voltarem de mãos abanando para suas cidades.

Há também aquelas que prostituem-se apenas pelo sabor da emoção, da adrenalina, experimentando  novas experiências sexuais; para estas “primas”, o dinheiro é secundário.

O livro conta histórias destas diferentes mulheres que têm apenas uma coisa em comum: trabalham ou trabalharam na Pê-Jota em algum momento.

Não poderia deixar de destacar as duas histórias que mais chamaram a minha atenção:

Mignon
Narra a história de Ilcelene Maria que,  sexta-feira à noite, deixou o filho Matheus na companhia de sua mãe, para fazer ponto na Prado Júnior. Ela  precisava levantar um dinheirinho para pagar suas contas, mas acabou dando de cara com um cliente alcoolizado que ela não via por ali há muito tempo.

Seu nome era Christiano, e ele era o pai de seu filho Matheus…

Galetinho
Enquanto comia galeto em um restaurante, um cliente reparou em uma mesa aonde mãe e filha estavam sentadas. A garota era bem nova, usava óculos de aro de tartaruga e tinha “janelinha” nos dentes; já a mãe, estava vestida com uma roupa bem chamativa, provocante. O homem ia comendo e embebedando-se, sem tirar os olhos daquelas duas, pois tinha a certeza que a mãe era garota de programa.

Quando a mãe da garota levantou-se e saiu do restaurante, deixando a filha aos cuidados do garçom, o cliente ficou extremamente revoltado, pois teve a certeza que ela fora fazer algum programa…

O resto, só lendo muito!

Quero deixar bem claro que não tem spoiler em qualquer um dos contos destacados, podem ficar tranquilos.

Com toques de humor, com muito respeito e sem qualquer vergonha, o autor consegue recriar tudo que acontece na Prado Júnior – e fora dela, algo que acontece em outras localidades do Brasil, como a Augusta, em São Paulo.

O livro fez tanto sucesso que acabou virando uma série de muito sucesso do canal Multishow.

Atribuo 5/5 estrelas.

Espero que tenham gostado.

Um beijo no coração de cada um de vocês!

Alex André

Anúncios

2 comentários sobre “Uma Rua Sem Vergonha – Claudio Henrique

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s