Gato Felix Classic – Otto Messmer, Pat Sullivan e outros

Boa tarde, querida Família Lendo Muito!

Para aqueles que ainda não sabem: nosso espaço é bem eclético. Gostamos de postar poesias, acrósticos, resenhas de livros, de séries, de mangás e de HQs também.

Desta vez, escolhi para  resenhar  um personagem que todos conhecem muito bem: o Gato Félix.

Gato Felix Classic, da Opera Graphica Editora é uma edição primorosa, em capa de couro, com uma introdução do cartunista Ota (Otacílio d’ Assunção), que remonta aos tempos em que antecederam a criação do gato tão querido e conhecido por todos.

Só para dar uma ideia a todos: Felix reinava soberano no tempo do cinema mudo, sendo o primeiro personagem de animação a tornar-se grife e ter vários produtos licenciados, ganhando  os quadrinhos e até mesmo uma canção: Felix, the cat.

Até nosso querido Monteiro Lobato rendeu-se ao carisma do personagem, chegando a transformá-lo em personagem de seus livros.

Ele só foi desbancado mesmo de seu trono quando o cinema mudo perdeu espaço para o cinema falado e um certo camundongo Mickey entrou em cena…

Durante muito tempo, acreditou-se que o verdadeiro criador do Gato Felix era Pat Sullivan, que detinha os direitos sobre o personagem, mas seu verdadeiro criador era o desenhista Otto Messmer, que no inicio nem sequer tinha seu nome nos créditos.

As cinco histórias escolhidas para fazerem parte desta edição são de publicações que saíram em tiras de jornais entre 1934 e 1935, épocas em que o Gato Felix atingiu sua maior notoriedade nos EUA.

Surpreendi-me muito com cada história, pois, apesar de ser um fã do Gato Felix e ter assistido muito aos seus desenhos, não fazia ideia de que, naquela época, suas histórias, além de muito divertidas, vinham sempre acompanhadas de bons ensinamentos.

Destaque para Baby-Sitter, que narra a história de um casal que deixa seu filhos sozinhos, na companhia do Gato Felix em casa.  A casa deles acaba invadida por um ladrão perigoso e procurado pela polícia, que se passa por detetive de polícia para tentar enganar as crianças, contudo, o esperto Felix desconfia de algo na atitude suspeita do tal detetive.

O ladrão começa a roubar a casa, mas  quando entra no quarto das crianças e dá de cara com elas, ali ajoelhadas, rezando para que Deus lhe proteja de qualquer mal; ele decide então abandonar a vida de crimes e emendar-se – pega até as únicas moedas que ele possuía e deposita no cofrinho das crianças, que acaba caindo e se quebrando, bem no momento em que os pais estavam voltando.

Felix, com pena do ladrão,  resolve assumir a culpa pela queda do cofrinho e ainda ajuda o mesmo a escapar da residência. A história termina com uma verdadeira lição de civilidade e moral a todos nós.

Uma edição que merece fazer parte da coleção daqueles que são fãs do Gato Felix e para aqueles que são fãs de quadrinhos em geral, pois muitas das técnicas de arte sequencial usadas hoje, tiveram início nas tiras pioneiras do nosso gato querido.

Uma curiosidade: A primeira imagem veiculada na TV foi a do nosso querido Gato Felix, e deu-se em 1928. Sua imagem em papel servia para regular a imagem dos aparelhos que eram em preto e branco naquela época.

A primeira celebridade da TV.

Atribuo 5/5 estrelas.

Espero realmente que tenham gostado.

Um beijo no coração de todos.

Alex André

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s