Noite Sem Madrugada – Adonias Filho

Resultado de imagem para noite sem madrugadaBom dia, querida Família Lendo Muito.

Trago-vos uma resenha de um livro que eu comprei por R$ 2,00 em uma das máquinas de livros do Metrô de São Paulo. Trata-se de Noite Sem Madrugada, do gênero policial, escrito brilhantemente por Adonias Filho.

A paz matutina da Rua da Vila, no Catete, Rio de Janeiro, é quebrada pela prisão de Eduardo, marido de Vilma e pai de três crianças pequenas, na sua própria casa. Ele estava sendo acusado de assaltar um banco e de ter matado duas vítimas, com a ajuda de dois comparsas.

Vilma não consegue entender o que está acontecendo com seu marido, pois ela tem certeza absoluta da inocência de Eduardo. Os vizinhos começam a olhá-la atravessado e até o chefe do serviço do marido resolve demiti-lo, alegando que ele já desconfiava de algo.

Tudo isso motivado pelo passado de Eduardo: seu pai, um engraxate italiano, morreu quando ele tinha apenas 4 anos e, mais tarde, sua mãe esfaqueou o amante em um surto  motivado pelo alcoolismo. Depois da prisão dela, ele fugiu para a rua para fazer parte de um bando de pivetes que realizava pequenos furtos, até ser encontrado por Laura, uma mulher bem de vida, que resolveu criá-lo, conseguindo fazê-lo diplomar-se em contabilidade, mas sem nunca adotá-lo de verdade – talvez por medo de sua herança genética – preferindo deixar toda a sua herança para dois irmãos que ela quase nunca teve contato.

O doutor Soares Mendonça, advogado de defesa de Eduardo, acreditava ser muito difícil provar a inocência do marido de Vilma, pois ele havia sido reconhecido por várias testemunhas e não tinha um álibi para a hora do crime.

É então decretada a prisão preventiva de Eduardo e, numa cruzada para provar a inocência do seu amado, Vilma resolve visitar os lugares que Eduardo afirmara estar na hora do crime e falar com as pessoas, na ânsia de achar alguém que pudesse ter visto seu marido; contudo, ninguém quis se comprometer, afinal, seu marido estava sendo acusado de um duplo homicídio.

Após visitar seu marido algumas vezes na prisão, ela sente que Eduardo está entregue tal qual um santo que aguarda seu martírio e talvez não resista até o julgamento, marcado para trinta dias.

Em desespero, Vilma resolve fazer o caminho inverso e falar com as testemunhas que reconheceram seu marido, sem nenhum sucesso. Sua única esperança era que o já muito adoentado doutor Soares, durante o julgamento conseguisse  encontrar uma brecha na lei para salvar Eduardo, algo praticamente impossível…

O resto, só lendo muito!

A força de Vilma é a mesma força que cada mulher que ama  demonstra nas horas difíceis. Um exemplo para nós, homens. 

Um dos melhores livros que li em 2017. A tensão vai subindo a cada página lida, fazendo com que o leitor não consiga parar  e siga até a última página. Prefácio magnífico de Rachel de Queiroz.

Merece mais do que apenas 5 estrelas.
✮✮✮✮✮

Vou continuar “garimpando” pelas máquinas do Metrô para trazer novas resenhas para vocês.

Espero que realmente tenham gostado.

Um beijo no coração de cada um de vocês!

Alex André

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s