A Filha do Louco – Megan Sheperd

Boa tarde, minha querida Família Lendo Muito!!!

A resenha deste final de semana é referente ao livro A Filha do Louco, que a autora Megan Shepard escreveu, baseando-se na obra-prima de H.G. Wells: A Ilha das Almas Selvagens ou A Ilha do Dr. Moureau, seu título original.

A história começa com a órfã de 16 anos Juliet Moureau levando uma vida difícil, trabalhando como faxineira em um hospital onde seu pai já fora professor. Todo o luxo de sua infância teve que ser deixado para trás de uma hora para outra quando o Dr. Henry Moureau, seu pai e médico mais famoso de Londres, foi denunciado por fazer experiências ilegais e cruéis com os animais. Para aplacar a fúria da sociedade londrina da época, o renomado cirurgião abandonou mulher e filha na penúria e desapareceu, sem deixar vestígios,  levando todos a acreditarem que estava morto.

Por uma obra do acaso, Juliet acaba reencontrando Montgomery, assistente do seu pai e pessoa que ela sempre gostara, desde os tempos de criança. Montgomery faz-lhe uma revelação que a deixa estupefata: seu pai estava vivo e dando continuidade às suas experiências com animais em uma ilha do Pacífico Sul.

Juliet insiste em embarcar com Montgomery para reencontrar seu pai, homem que fora muito carinhoso para ela na sua infância e, que para ela deveria ser um gênio da medicina, que ninguém compreendera ainda e não aquele médico louco e cruel, que todos apontavam. A viagem de navio foi deveras extenuante e longa; no meio do caminho salvaram um náufrago inglês, de nome Edward, com uma aura de muito mistério ao seu redor.

Quando Juliet chega a ilha, seu pai dá mostras de felicidade ao recebê-la, mas tenta afogar Edward, sem qualquer explicação. Montgomery acaba por salvar Edward e o Dr. Moureau, muito a contragosto,  permite que o jovem inglês fique na ilha até a passagem do próximo navio – algo que poderia demorar de alguns meses a um ano!

Os habitantes daquela  ilha eram seres muito estranhos, bizarros. Todos tinham  feições muito parecidas com animais selvagens. A exceção era Alice, uma garota loira, muito bonita, que tinha lábios leporinos e que fazia serviços domésticos.  Juliet percebe uma paixão da jovem Alice por Montgomery e acaba nutrindo um certo ciúme pela garota.

As experiências de seu pai e de Montgomery começam a intrigá-la, assim como a deformidade daqueles habitantes da ilha. E mortes começam a acontecer por toda a ilha, levando-a a acreditar que  alguma das experiências doentias do Dr. Moureau estava por trás daquele rastro de sangue e terror…

O resto, só lendo muito!!!

Eu fico sempre com muita descofiança em ler histórias que baseiam-se em livros já aclamados, por achar que nunca chegam aos pés da história original. Porém, confesso que me surpreendi com este livro, pois a autora conseguiu, de forma brilhante, utilizar um ponto de vista diferente de uma história tão consagrada de H.G. Wells, e criar um enredo bem interessante,  repleto de suspense,  com muitas surpresas e viradas na história a todo momento. A única crítica que faço é pelo fato da história ficar amarrada, lenta, em um determinado momento, gerando um certo desinteresse momentâneo pelo livro. Nota 9.

Espero que tenham gostado.

Um beijo no coração de cada um de vocês!

Alex André

 

 

 

Anúncios

3 comentários sobre “A Filha do Louco – Megan Sheperd

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s