Delírio, Poesia e Morte – A Solidão de Álvares de Azevedo – Luciana Fátima

Boa tarde, querida família!
Neste domingo, trago-vos uma resenha mais do que especial: Delírio, Poesia e Morte – A Solidão de Álvares de Azevedo, da querida autora Luciana Fátima. Neste livro, a autora escreveu uma biografia romanceada de um dos maiores representantes da segunda fase do Romantismo brasileiro (Ultrarromântica), e que morreu com apenas vinte anos de idade.

Resultado de imagem para delírio, poesia e morte

Não vou falar muito da vida deste “poeta maldito”, sob pena de estragar a história.

No livro é  possível vivenciar a angústia, a genialidade, o lirismo, o medo e a obsessão pela morte, algo que  Maneco Azevedo – para seus amigos mais próximos – experimentou nos poucos anos em que viveu.

A influência de Lord Byron é um enorme ponto de destaque,  já que Álvares de Azevedo incorporou-a  em sua obra até o final. Também incorporou-a em sua vida pessoal, passando a  visitar cemitérios e a participar de uma sociedade secreta (Sociedade epicureia) com outros amigos escritores.

A solidão e o tédio existencial que o poeta sentia no período em que estudou Direito na capital paulista ficam bem explicitados, pois as diversões eram escassas e resumiam-se às festas promovidas pela marquesa de Santos ou aos funerais.

Posso afirmar que a autora não só conseguiu dar voz ao grande Álvares de Azevedo, como ela mesma transportou-se para aquele período, servindo como uma testemunha ocular da história. E, com grande brilhantismo, deu um toque de humor, dramaticidade e até de certo suspense em tudo o que ela viu por lá.

Para aqueles que ainda não tiveram contato com Álvares de Azevedo, através deste livro irão conhecê-lo muito bem. Para os que já conhecem suas obras, irão conhecer o seu lado humano deste brilhante autor. Nota 1000.

P.S.: Muito obrigado, Lu querida, por ter me presenteado com um exemplar autografado, algo que eu jamais vou esquecer!

Um beijo no coração de cada um de vocês!

Alex André (Xandy Xandy)

Anúncios

3 comentários sobre “Delírio, Poesia e Morte – A Solidão de Álvares de Azevedo – Luciana Fátima

  1. […] A excelente autora conseguiu não só criar uma biografia romanceada de um dos  “Poetas Malditos”, como também recriar, de maneira brilhante, a São Paulo oitocentista, com suas ruas esburacadas, poucas opções de diversão e que transbordava lirismo. Pareceu-me, em certo momento, que eu estava acompanhando de perto um dos saraus que Álvares de Azevedo promovia com seus amigos poetas nos cemitérios… Mais uma resenha aqui! […]

    Curtir

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s