O diário de Helena-Parte VI

Nota da autora: Sim, eu sei que estou atrasada. E sim, eu sei que isso não é algo exatamente incomum, mas, mesmo assim, eu gostaria de me desculpar pela demora pra postar. Além da época de provas ter começado, da minha habitual preguiça, falta de tempo e falta de memória, aparentemente todos os meus aparelhos eletrônicos resolveram dar problema ( o PC dia liga, dia não liga, o notebook está lerdo como sempre e eu detesto postar no celular, que não deu nenhum problema em relação a isso, por enquanto, mas, para a minha alegria, parece se recusar a transmitir alguns vídeos ás vezes, além do wi-fi na casa do meu pai ser péssimo). Graças a tudo isso, não irei prometer menos atrasos, porque de fato não sei se será possível , mas, para compensar, vou (tentar) postar duas partes da história hoje, ao invés de apenas uma. Bem, era isso que eu tinha pra dizer, espero que me perdoem, não desistam da história e, é claro, tenham uma boa leitura!

De trás das asas do anjo, saiu um grupo de jovens composto de dois meninos e duas meninas. Eram visivelmente góticos, todos vestidos de preto, com piercings e alguns com tatuagens e cabelos tingidos.

Um dos meninos usava alargador, e tinha o cabelo no estilo moicano tão preto que só podia ser tingido. Nas laterais do seu pescoço as tatuagens eram abstratas e em sua sobrancelha esquerda havia um piercing preto que todos os outros do grupo também usavam. Era pálido e apesar de ser visivelmente o mais velho entre eles, e também o líder, aparentava no máximo 20 anos.

Depois de analisar Helena de cima a baixo, lhe lançou um meio sorriso indecifrável e, se voltando para uma menina de cabelos vermelhos, ordenou:

-Taylor, pergunte.

Com um aceno de cabeça, Taylor se abaixou, ficando de cócoras para que estivesse na altura de Helena, que permanecia sentada. De forma dura e direta ela disse:

-Levando-se em consideração que está sentada num cemitério abandonado, imagino que deveria lhe perguntar se está bem, não é mesmo? Mas não vou fazer isso. Não vou fazer isso porque considero esta a pergunta mais hipócrita que existe. Ninguém está realmente bem. Se essa vida fosse fácil não lhe parabenizariam por cada ano a mais que passa nela. Então o que vou lhe peguntar é:- sua expressão anuviara um pouco,a voz mais gentil- você é como nós, não é?

Continua…

By Ana Beatriz

Anúncios

2 comentários sobre “O diário de Helena-Parte VI

  1. Pode esperar! Eu posso demorar pra postar, mas não pretendo abandonar a história, então pode ficar tranquila kk. Fico feliz que tenha gostado!
    Beijos 🙂

    Curtir

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s